Fonte: OpenWeather

    Feminicídio


    'Eu a amava, mas fui provocado', confessa homem que matou mulher no AM

    O autor do crime, que publicava juras de amor para a mulher em uma rede social, declarou que amava a esposa (morta com 10 facadas) e que foi provocado durante um desentendimento entre o casal

    O autor do crime ainda se justificou que não sabe o que ocorreu para ter matado a esposa
    O autor do crime ainda se justificou que não sabe o que ocorreu para ter matado a esposa | Foto: Daniel Landazuri

    Manaus - Aparentemente arrependido, após matar a companheira com mais de 10 facadas, o feirante Jefferson da Silva Pinto, de 25 anos, foi apresentado à imprensa na tarde desta quinta-feira (4), na sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), na Zona Leste de Manaus, depois de quase um mês do crime. O autor do feminicídio informou que estava escondido na casa de amigos e parentes, na capital amazonense, durante esse período. 

    “Eu estava com medo de ser morto, fiquei na casa de um e de outro. Não queria fazer aquilo, nem sei como aconteceu”, disse Jefferson. 

    Falso amor?

    O homem, que publicava juras de amor para a mulher em uma rede social, declarou que amava a esposa e que foi provocado durante um desentendimento entre o casal.

    “Ela começou a discussão comigo e eu não queria ficar brigando na frente da minha filha, que tem 1 ano e 4 meses. Parei de beber e dei até dinheiro para ela fazer o cabelo. Depois deitei no chão para dormir. Depois acordei com ela me chutando e perguntado sobre a chave", contou Jeffesson. 

    Confissão

    Ele ainda se justificou que não entende o que ocorreu para ter matado a esposa. "Até hoje eu tento entender porque isso aconteceu. Tenho pedido perdão de Deus todos os dias, também quero pedir perdão para a mãe dela pelo o que eu fiz. Não queria que terminasse assim", contou o réu confesso do assassinato. 

    O titular da DEHS, delegado Paulo Martins, contou que o advogado do suspeito chegou a negociar com a equipe de investigação antes de se entregar na delegacia. 

    "Em função de muita pressão, a equipe da DEHS conseguiu convencer o advogado para que o autor do crime se entregasse", informou Martins. 

    O caso

    A maranhense Stefane Rocha Chaves, de 20 anos, foi assassinada a facadas no dia 5 de março, dentro de uma quitinete onde o casal morava, na rua Jasmim da Noite, comunidade Nova Vitória, bairro Gilberto Mestrinho, Zona Leste de Manaus.

    O motivo do assassinato, segundo a polícia, seria por conta de uma discussão banal. O suspeito teria ingerido bebidas alcoólicas e, ao voltar para casa, não conseguiu entrar por estar sem a chave. O homem teria dormido no quintal da casa e, ao acordar, acusou a companheira de ter escondido a chave do portão. Em seguida, desferiu as facadas na vítima.

    A jovem foi encontrada pela irmã de Jefferson ensanguentada e sem sinais vitais. A polícia foi acionada, mas o homem já havia fugido. Natural de Imperatriz (MA), Stefane não tinha familiares em Manaus. Ela deixou uma filha de um ano e quatro meses, um fruto do relacionamento com Jefferson. A criança está sob os cuidados da avó materna, na cidade de Davinópolis, no Maranhão. 

    Veja reportagem da TV Em Tempo:

    Veja reportagem | Autor: Luiz Rodrigues/TV Em Tempo

    Leia mais

    Industriário é condenado a 18 anos de prisão por matar esposa no AM

    Sob protesto de família, homem confessa que matou esposa durante surto

    Homem que matou esposa com 10 facadas se entrega à polícia em Manaus

    Comentários