Fonte: OpenWeather

    Investigação no Compaj


    Seap inicia investigação de responsáveis pelo conflito do Compaj

    O conflito começou por volta das 11 horas deste domingo (26) e causou a morte de 15 detentos que cumpriam pena em regime fechado.

    Policiais dentro das celas onde ocorreu o conflito. | Foto: Divulgação/Seap

    Manaus - Após o conflito no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), BR-174, que causou a morte de 15 detentos neste domingo (26), a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) já iniciou as investigações para identificar responsáveis pela morte dos presos.

    Segundo o secretário de Estado de Administração Penitenciária (Seap), coronel Marcus Vinicius de Almeida, as mortes de detentos aconteceram nas quadras e dentro das celas, com uso de estoques (feitos com escovas de dente) e também por enforcamento. 

    A Seap fará um levantamento, por meio das câmeras de segurança, para identificar os autores dos assassinatos e encaminhar para a Justiça, além de aplicar medidas administrativas em toda a unidade. “Da parte administrativa, nós vamos tomar medidas de segurança, como a suspensão das visitas, no momento, e outras medidas internas”, afirmou o secretário da Seap.

    Policiais dentro das celas onde ocorreu o conflito.
    Policiais dentro das celas onde ocorreu o conflito. | Foto: Divulgação/Seap

    Familiares dos presos estão recebendo atendimento pela equipe de psicólogos e assistentes sociais da Seap, na entrada do ramal que dá acesso ao Compaj.

    *Com informações da assessoria.

    Leia mais:

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    Veja quem são os mortos na rebelião do Compaj, no Amazonas

    'De helicóptero, PMs atiraram em presos', diz Epitácio Almeida da OAB

    Comentários