Fonte: OpenWeather

    Violência


    Rastro de sangue: três homens são mortos em área vermelha de Manaus

    Moradores da invasão "Coliseu" relataram que ouviram vários tiros durante a noite

    Polícia no local da ocorrência | Foto: Josemar Antunes

    Manaus - Após as 55 mortes nos presídios de Manaus, a onda de assassinatos tomou as ruas da capital amazonense. Três homens foram encontrados mortos na invasão Coliseu, localizada na comunidade João Paulo, bairro Jorge Teixeira, na Zona Leste. As vítimas apresentavam marcas de tiros e facadas. 

    Os assassinatos aconteceram durante a noite de terça-feira (28) e madrugada desta quarta-feira (29). Os dois primeiros corpos, ainda não identificados, foram achados na rua Alfazema, com tiros na cabeça e tórax. O crime foi registrado por volta das 2h30. Os corpos estavam a uma distância de 300 metros um do outro. 

    Tiros e corpo degolado

    À polícia, os moradores informaram que ouviram vários tiros durante a noite entre traficantes. A briga no bairro envolve os traficantes "Fernando", da Família do Norte (FDN), e "Cabral", do Primeiro Comando da Capital (PCC). 

    Já no início da manhã, o corpo do adolescente Júlio César Gomes Júnior, de 15 anos, foi encontrado dentro de um igarapé, na mesma invasão, com o pescoço degolado e com várias perfurações.

    Um dos corpos estava degolado
    Um dos corpos estava degolado | Foto: Josemar Antunes

    Ao Portal Em Tempo, o pai da vítima, de 60 anos, que trabalha como pedreiro, disse que a casa do filho foi invadida por, pelo menos, 20 homens armados. 

    "Eles disseram não se mete. Fica na tua para não morrer também. Em seguida, arrastaram o meu filho de dentro de casa e logo depois escutei os tiros. Pela manhã, meu filho foi encontrado com o pescoço degolado dentro do igarapé. Não tenho ideia de quem são esses criminosos", disse. 

    A Polícia Militar, por meio da 30ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), informou que o jovem já tinha quatro passagens por tráfico de drogas. 

    Entretanto, o pai de Júlio César contrariou a versão dada pela PM. Segundo ele, o adolescente tinha se desligado do tráfico de drogas e, atualmente, trabalhava como padeiro.

    "O meu filho chegou a dever R$ 60 para um traficante da área, mas quando fiquei sabendo paguei a dívida e pedi para ele deixar o Júlio em paz. Depois disso, o meu filho vivia de forma digna trabalhando", disse. 

    Os corpos foram removidos ao Instituto Médico Legal (IML), no bairro Cidade Nova, na Zona Norte. Tudo indica que os crimes foram praticados pelos mesmos criminosos. 

    O corpo foi removido pelo IML
    O corpo foi removido pelo IML | Foto: Josemar Antunes

    A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) investiga os assassinatos. Segundo informações preliminares da especializada, as mortes estão relacionadas a disputada por pontos de drogas. 

    FDN x FDN

    O “racha" entre os líderes da facção criminosa Família do Norte (FDN) está resultando em vários conflitos nas ruas da cidade. Na terça-feira (28), no bairro Cidade de Deus, Zona Norte de Manaus, um grupo, que pertence ao narcotraficante João Pinto Carioca, o "João Branco", tentou executar o líder de uma boca de fumo, ligado a José Roberto Fernandes Barbosa, o "Zé Roberto da Compensa”.

    Segundo fontes da Polícia Militar, o confronto foi motivado pela disputa do domínio do tráfico de drogas na capital amazonense. 

    “O Governo não quer admitir, mas esse ‘racha’ está gerando conflitos na cidade. Esses criminosos estão em busca de poder, cada um vai defender o seu”, disse um policial à reportagem.

    Conforme a fonte policial, aliados de João Branco estão querendo tomar as bocas de fumo administradas por "soldados" de Zé Roberto. 

    Leia mais: 

    Após chacina, 'racha' na FDN gera conflitos fora das cadeias em Manaus

    'Anjinho' do PCC é transferido após massacre em cadeias de Manaus

    Nove detentos do Amazonas são transferidos para presídios federais

    Comentários