Fonte: OpenWeather

    Chacina no presídio


    13 corpos de presos mortos em rebelião são liberados para famílias

    Os peritos estão trabalhando na identificação científica para entregar os demais corpos às famílias

    Dos 55 mortos desde domingo em unidades prisionais, 28 já foram liberados
    Dos 55 mortos desde domingo em unidades prisionais, 28 já foram liberados | Foto: Roberto Carlos e Bruno Zanardo/Secom

    No início da tarde desta quarta-feira (29/05), o Instituto Médico Legal (IML) liberou os corpos de 13 detentos mortos na última segunda-feira (27) em presídios estaduais. Desde a madrugada de terça-feira (28), os peritos estão trabalhando na identificação científica para entregar os corpos às famílias.

    Segundo a diretora do IML, Sanmya Leite, à medida que vão sendo concluídos os procedimentos de identificação, as famílias são informadas sobre a liberação. Ela explicou que o trabalho criterioso precisa ser feito para a identificação adequada.

    “No primeiro dia, reunimos as informações necessárias para ajudar na identificação. Como as famílias estão muito abaladas, não seria viável confrontar os documentos apresentados por elas e preferimos manter o rigor científico para não haver problemas”, explicou.

    A perita criminal Cláudia Saraiva explicou como funciona o processo de identificação. Inicialmente, foi realizado o exame de necropsia em todos os 40 corpos, que, posteriormente, foram alocados no caminhão frigorífico.

    Ainda na necropsia foi coletada a chamada “individual cadavérica”, que foi anexada a uma Declaração de Óbito contendo informações da causa da morte. “Na terça-feira, fizemos uma classificação das digitais, num processo documental, o que permitiu agilizar o processo de identificação técnica que está ocorrendo nesta quarta-feira”, explicou a perita.

    O trabalho científico é necessário para evitar que um atestado de óbito seja emitido erroneamente, trazendo transtornos futuros e comprometendo a credibilidade do IML.

    Mortos 

    No último domingo (26) e segunda-feira, 55 detentos foram mortos em quatro unidades prisionais. Dos 15 mortos no domingo, todos foram liberados no dia seguinte (27), e dos 40 mortos na segunda-feira, um foi liberado no mesmo dia e outros 12 nesta quarta-feira.

    Dos 40 mortos na segunda, em quatro casos ainda não havia sido possível a identificação por falta de Prontuário Civil.

    Atendimento às famílias

    Desde segunda-feira, as famílias estão recebendo atendimento de psicólogos e de assistentes sociais, recebendo orientação sobre a identificação e sobre a liberação dos corpos.

    “Temos muitos voluntários, temos um serviço social que está fazendo o atendimento, tentando acalmar as famílias, fazendo entrevistas, pegando todas as informações para entrar em contato quando a identificação estiver concluída”, afirmou Leite. O atendimento permanecerá nos próximos dias. 

    Corpos liberados nesta quarta-feira (29):

    - Anderson Barros de Oliveira - UPP

    - Jonathan de Oliveira Procópio - IPAT

    - Alison Fontoura da Silva - IPAT

    - Ivanilson Calheiro Amorim - IPAT

    - Thiago Moreira Lima - IPAT

    - William Willer Souza de Souza - IPAT

    - Thayloan da Silva Timóteo - IPAT

    - Bruno Borges Gonçalves - COMPAJ/RF

    - Jairo Alves de Figueiredo - CDPM 1

    - Ivonei Basílio de Souza - IPAT

    - André Silva Domingues - IPAT

    - Rafael da Silva Ferreira - IPAT

    - Orlanildo de Souza Alves - UPP

    *Com informações da assessoria

    Leia mais:

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    Após palestra em escola de Manaus, criança denúncia tio por estupro

    Pai estuprava e realizava fetiche com as próprias filhas, em Manaus


    Comentários