Fonte: OpenWeather

    Homicídio


    'Carlinhos' é morto após ser sequestrado por 20 criminosos, em Manaus

    Pelas características do assassinato, segundo a polícia, o crime tem relação com o tráfico de drogas

    A DEHS foi acionada para o local | Foto: Josemar Antunes

    Manaus - Carlos Alexandre Melo dos Santos, de 24 anos, conhecido como "Carlinhos", foi encontrado morto com um disparo de arma de fogo, na manhã desta quinta-feira (6). A vítima estava dentro de um córrego, na comunidade Alfredo Nascimento, no bairro Cidade de Deus, na Zona Norte de Manaus. 

    A vítima foi encontrada com as mãos amarradas para trás e uma camisa de cor laranja envolta do pescoço, além de um tiro na cabeça. Durante os trabalhos da perícia criminal do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC), uma mulher, irmã da vítima, reconheceu o corpo. 

    Josemar Antunes
     

    Mesmo diante do medo, alguns moradores arriscaram ao contar que Carlos Alexandre estava sendo mantido refém por aproximadamente 20 homens, próximo de um campo de futebol, antes de ser morto. O assassinato foi motivado por envolvimento da vítima com o tráfico de drogas. 

    O delegado Luiz Rocha, plantonista da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), confirmou que a vítima tinha sido sequestrada por um grupo de pessoas, ainda não identificadas. Carlos morava na rua Monte das Oliveiras, na comunidade Nossa Senhora de Fátima, no bairro Cidade Nova, na Zona Norte. 

    Josemar Antunes
     

    "O rapaz foi sequestrado, conforme informações da família. Vamos investigar a real motivação do crime e identificar os assassinos. Pelas características, o crime tem relação com o tráfico de drogas", disse. 

    O corpo foi removido ao Instituto Médico Legal (IML), no bairro Cidade Nova, na Zona Norte da capital. A DEHS abriu inquérito para elucidação do crime.

    Veja reportagem da TV Em Tempo:

     

    Leia mais: 

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    Advogado é autuado por tráfico de drogas e deve dormir na delegacia

    Registros de assédio sexual contra mulheres crescem 13% em Manaus

    Comentários