Fonte: OpenWeather

    PRISÃO


    Vídeo: Procurada pela Interpol, mulher de João Branco da FDN é presa

    Conforme a polícia do Amazonas, Sheila Peres teria envolvimento com o último massacre no Compaj, ocorrido em maio de 2019

    Sheila foi detida no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos
    Sheila foi detida no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos | Foto: Reprodução

    Manaus - Sheila Maria Faustino Peres foi presa, no início da tarde desta quarta-feira (10), no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos (SP). A informação foi confirmada pelo titular da Secretária de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), coronel Louismar Bonates. 

    Sheila é apontada como a principal suspeita de ter trazido ordens do esposo, o narcotraficante João Pinto Carioca, o "João Branco", para o massacre ocorrido no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em maio deste ano. De acordo com o titular da SSP, a mulher estava embarcando em um voo com destino a Barcelona, na Espanha, quando foi presa pela Polícia Federal.

    "A Justiça do Amazonas tem um mandado de busca e apreensão em aberto contra Sheila, e nós repassamos isso para a Polícia Federal - que acionou apoio da Interpol. Quando ela estava passando pela Imigração, ainda em Guarulhos, foi detectado o mandado no sistema e acabou presa imediatamente", afirmou Bonates.

    Segundo o secretário, Sheila está sob custódia da Polícia Federal, porém a SSP já está providenciando o recambiamento dela para Manaus. "Por questões de segurança, não podemos dizer quando ela chega. Só o que podemos afirmar é que já estamos providenciando isso", completou o coronel. 

    Histórico

    Sheila é apontada como o pivô da morte do delegado Oscar Cardoso, assassinado em 9 de março de 2014 com 20 tiros a mando de João Branco. Ela também seria a principal responsável pela disputa de poder entre João Branco e o também narcotraficante José Roberto Fernandes Barbosa, o "Zé Roberto da Compensa", um dos fundadores da facção criminosa Família do Norte (FDN).

    João Branco e Zé Roberto comandavam a FDN até que João Branco decidiu fundar a sua própria facção com dissidentes da FDN, a chamada "FDN Pura" ou "Potência Máxima".  Zé Roberto está preso na Penitenciária Federal de Catanduvas, no Paraná (PR), e João Branco cumpre pena na Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte (RN).

    Edição: Isac Sharlon

    Veja a reportagem da TV Em Tempo:
    Veja a reportagem | Autor: Waldir Adriano/TV Em Tempo
     
    Leia mais:

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    Um mês após massacre, visitas nos presídios podem continuar suspensas

    'Bibi' do Amazonas está entre os presos na Operação Collusione

    Comentários