Fonte: OpenWeather

    Homicida


    Procurado por homicídio no Pará é preso em Manaus

    "Matei porque ele me caguetou", disse Wilkson Melo ao confessor assassinato de mototaxista

    A prisão teve apoio da Rocam | Foto: Josemar Antunes

    Manaus – O procurado da justiça paraense Wilkson Melo de Souza, de 21 anos, conhecido como "Pitico", foi preso na tarde de sexta-feira (12), na comunidade Nova Canaã, no quilômetro 41 da BR-174, zona rural de Manaus. Ele é acusado de matar um mototaxista e fugir de um presídio no Oeste do Pará. 

    De acordo com o delegado Fonseca, titular da Delegacia de Polícia Civil de Oriximiná, no Oeste do Pará, Wilkson matou com oito facadas o mototaxista Carlos Alberto Pimenta Corrêa, de 38 anos, o "Bio". O crime aconteceu no dia 4 de julho deste ano, no quilômetro 15 do ramal Jatuaraninha, após Wilkson fingir estar interessado em comprar um terreno da vítima. Em seguida, Wilkson queimou os documentos de "Bio".

    A Policia Civil do Pará chegou ao suspeito após analisar circuitos de câmeras de diversos locais da cidade. As imagens de uma câmera de segurança de um posto de combustíveis mostram Wilkson na garupa de uma moto, conduzida por Carlos Alberto, horas antes de ser assassinato.

    O corpo de Carlos Alberto foi encontrado no ramal Jatuaraninha
    O corpo de Carlos Alberto foi encontrado no ramal Jatuaraninha | Foto: Divulgação

    "Wilkson estava sendo procurado por homicídio em Oriximiná. Ele atraiu o mototaxista Carlos Alberto para o ramal após descobrir que a vítima havia relatado à polícia que ele tinha envolvimento com o tráfico de drogas. Recebi informações anônimas que Wilkson veio para Manaus e estava escondido na casa da sogra dele. Ele ainda tentou fugir pela área de mata ao perceber a presença da equipe policial, mas não teve sucesso", informou o delegado Fonseca. 

    A autoridade policial destacou, ainda, que Wilkson já tinha sido preso com 17 quilos de oxi, em Santarém. Ele fugiu da casa penal no dia 27 de fevereiro de 2019. A ordem judicial de recaptura foi expedida no dia 19 de junho deste ano, pelo juiz Gabriel Veloso de Araújo, da 3ª Vara Criminal do Tribunal de Júri do Estado do Pará. 

    O foragido foi apresentado no 10º DIP
    O foragido foi apresentado no 10º DIP | Foto: Josemar Antunes

    Confessou o crime 

    Wilkson foi apresentado no 10° Distrito Integrado de Polícia (DIP), no bairro Alvorada, na Zona Centro-Oeste da capital amazonense. O investigado confessou a morte do mototaxista. Ele afirmou que matou Carlos Alberto porque ele o entregou à polícia. 

    "Eu matei o mototaxista porque ele me “caguetou” para a polícia. Ele quis me ferrar pelo meu envolvimento com o tráfico de drogas. Não estou arrependido do que fiz", declarou Wilkson ao Portal Em Tempo

    A prisão do procurado teve apoio de servidores da Casa Militar do Amazonas e policiais militares da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam). Após os trâmites legais, Wilkson será levado para um presídio em Santarém, no Oeste do Pará, onde ficará à disposição da Justiça.

    Leia mais:

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    Detento monitorado por tornozeleira eletrônica morre baleado em Manaus

    Trio investigado por roubos e tráfico de drogas é preso em Manaus

    Comentários