Fonte: OpenWeather

    Estupro de vulnerável


    Vídeo: sargento da PM e professor são presos por estupros em Manaus

    Jovem de 19 anos denunciou que ela e as duas irmãs, de família humilde, foram estupradas. Os autores dos crimes têm 53 anos e 66 anos

    Assista a reportagem | Autor: Mei Shapiama/ TV Em Tempo

    Os dois homens foram presos, na manhã desta segunda-feira (22), durante a operação "Kori"
    Os dois homens foram presos, na manhã desta segunda-feira (22), durante a operação "Kori" | Foto: Divulgação

    Manaus - O sargento Antônio Joselito Coutinho Viana, de 53 anos, da Polícia Militar do Amazonas (PMAM), e o professor de língua portuguesa João Batista Costa e Silva, de 66 anos, foram presos após serem denunciados por estupro de vulnerável, satisfação do prazer sexual próprio e favorecimento da prostituição. 

    Os dois homens foram presos, na manhã desta segunda-feira (22), durante a operação "Kori". O policial militar estava na rua 23 do conjunto Hiléia, bairro Redenção, na Zona Centro-Oeste da capital. O professor recebeu voz de prisão nas mediações da Secretaria de Estado de Educação do Amazonas (Seduc), na rua R. Waldomiro Lustoza, bairro Japiim, Zona Sul. 

    As prisões temporárias, com prazo de 30 dias, foram expedidas no dia 18 de julho deste ano, pela juíza Themis Catunda de Souza Lourenço. A ação judicial teve apoio de policiais civis do Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (Fera).

    Investigação

    O caso chegou ao conhecimento da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) após uma jovem, de 19 anos, denunciar que as irmãs, de 14 e 15 anos, estavam sendo estupradas. 

    De acordo com a delegada Joyce Coelho, titular da Depca, a jovem relatou que foi abusada pelos dois homens aos 13 anos e, depois de se casar, soube que as irmãs, com necessidades especiais, eram abusadas sexualmente. 

    “O professor passou a doar produtos para a família, e a jovem foi estuprada quando era empregada doméstica dele, em situação de mendicância. As meninas eram estupradas no prédio onde funciona um curso preparatório, no bairro Crespo, na Zona Sul”, informou a delegada.

    Ainda segundo a polícia, o PM também passou a oferecer dinheiro, roupas e alimentos, para ganhar a confiança da família. “A irmã mais velha foi a primeira sofrer os abusos. Após ela sair de casa, as irmãs foram estupradas em motéis. O policial trabalha nas proximidades da residência da família, no bairro Santa Etelvina, Zona Norte de Manaus”, contou Joyce Coelho. 

    A operação, que recebeu o nome de "Kori", no candomblé, significa deusa protetora das crianças. “A jovem também cita que os abusos do policial iniciaram quando ela buscava comidas na Cicom. É importante destacar que os dois homens não se conhecem. Há um terceiro autor, que já foi identificado e deve responder pelos crimes", explicou a titular da Depca. 

    Os dois homens continuam presos por 30 dias na Depca, onde serão ouvidos. O prazo estabelecido, segundo a delegada, é para reunir provas e remeter o inquérito à Justiça para, posteriormente, solicitar a prisão preventiva. As investigações ainda seguem para prender outro homem envolvido nos crimes. Ele não teve o nome divulgado, para não atrapalhar o andamento das investigações.

    Edição: Isac Sharlon

    Assista a reportagem da TV Em Tempo:

    Assista a reportagem | Autor: Mei Shapiama/ TV Em Tempo
     

    Leia mais:

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    Guerra do tráfico: 'Naldo' da FDN é executado na Cidade de Deus

    Execuções e guerra pelo poder na FDN; os principais crimes de junho




    Comentários