Fonte: OpenWeather

    Quadrilha investigada


    A casa caiu! Jovens são presas em Manaus por roubo a motoristas de app

    As duas suspeitas, de 19 e 20 anos, foram presas no bairro Novo Israel e apresentadas nesta quinta-feira (1º), pela Polícia Civil

    As duas mulheres foram apresentadas na tarde desta quinta-feira (1º)
    As duas mulheres foram apresentadas na tarde desta quinta-feira (1º) | Foto: Daniel Landazuri/Em Tempo

    Manaus - As irmãs Tamires Monteiro Nunes, de 19 anos, e Tais da Silva Nunes, 20, foram presas, na tarde da última quarta-feira (31), no bairro Novo Israel, Zona Norte de Manaus. Elas foram apresentadas na tarde desta quinta-feira (1º), na sede Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Veículos (DERFV). Segundo a Policia Civil, as duas jovens eram integrantes de uma quadrilha especializada em roubo de carros de motorista de aplicativos em Manaus

    O titular da DERFV, delegado Cícero Túlio, informou que as irmãs praticavam os crimes juntas com outros dois homens, ainda não identificados. “Foi constatado que essa quadrilha roubou pelos menos dois carros. Os crimes aconteceram em janeiro deste ano, e um dos veículos foi recuperado logo após o assalto. Tudo indica que elas e os comparsas fizeram outras vítimas ao decorrer do primeiro semestre”, informou o delegado. 

    Dupla foi presa em cumprimento a mandados de prisão temporária
    Dupla foi presa em cumprimento a mandados de prisão temporária | Foto: Daniel Landazuri/Em Tempo

    Cícero Túlio contou, ainda, que as jovens solicitavam as corridas de aplicativo na conta de outro irmão. “Elas usavam o celular do irmão para pedir as viagens. Uma das vítimas já fez o reconhecimento delas e informou que o grupo agia com violência. Os comparsas delas usam arma de fogo e facas para ameaçar os motoristas e subtrair os carros e pertences”, disse o delegado, que ressaltou que o irmão de Tais e Tamires deve ser notificado a prestar esclarecimentos na unidade policial. 

    Questionadas pela imprensa sobre os envolvimentos nos crimes, as irmãs alegaram inocência. Tais relatou que foi confundida com outro familiar. “Me confundiram com uma prima”, disse a jovem. 

    As irmãs foram presas em cumprimento a mandado de prisão temporária. No entanto, o titular da DERFV informou que deve solicitar a prisão preventiva das duas. “Elas estão sendo indiciadas por roubo majorado e associação criminosa. Vamos verificar se existem elementos suficientes para converter a detenção delas”, justificou o Túlio. 

    Edição: Isac Sharlon


    Comentários