Fonte: OpenWeather

    Luto


    Prefeitura de Rio Preta da Eva lamenta a morte de jovem

    Prefeito Anderson Souza esteve presente no hospital para prestar apoio à família da vítima

    Manaus - Após a estudante de psicologia Thalia Oliveira, de 18 anos, levar um tiro no pescoço efetuado por oficial da Polícia Militar do Amazonas (PM-AM),

    resultando em sua morte, na madrugada deste domingo (18) no município de Rio Preto da Eva (distante 84 quilômetros de Manaus). 

    O prefeito do município, Anderson Souza, esteve presente no Hospital Thome de Medeiros Raposo para prestar apoio a família da vítima. Em nome da prefeitura de Rio Preto da Eva, Anderson Souza esteve presente nas primeiras horas da manhã no hospital e disponibilizou toda a estrutura para apoiar a família neste momento de dor.

    O prefeito esteve presente no hospital para prestar apoio a família da vítima
    O prefeito esteve presente no hospital para prestar apoio a família da vítima | Foto: Divulgação

    Entenda o caso

    Segundo o irmão da vítima, Thalison Luiz, ela estava com um amigo antes da Ponte do Rio Preto da Eva, por volta das 5h30. "As pessoas que estavam próximas a ponte, comentaram que o amigo dela passou direto pela blitz no momento em que um policial efetuou o tiro e acabou atingindo o pescoço da Thalia", declarou Thalison.

    Thalia Oliveira, era filha da auxiliar de enfermagem Raquel Oliveira, pessoa muito querida e estimada pelos moradores do município. A ação do policial gerou revolta popular, que reclama das constantes ações policiais que somente visam o lucro, as chamadas 'blitzes pedágio'. "Todo mundo conhecia a Thalia, ela sempre foi muito querida por todos. Não tinha nada contra ninguém. Sempre foi uma pessoa que se dava bem com todos", declarou o irmão.

    O amigo de Thalia que estava conduzindo uma motocicleta avançou a blitz no momento do disparo
    O amigo de Thalia que estava conduzindo uma motocicleta avançou a blitz no momento do disparo | Foto: Reprodução

    Afastamento do policial

    O Comando Geral da Polícia Militar informou, por meio de nota, que o fato envolvendo um sargento da Polícia Militar (PM) durante o serviço em barreira policial no município de Rio Preto da Eva será apurado pela Diretoria de Justiça e Disciplina (DJD), que instaurou procedimento administrativo contra o militar, esclarecendo ainda que também responderá a Inquérito Policial Militar (IPM) com o imediato afastamento de suas funções até a conclusão dos procedimentos judiciais cabíveis.

    Comentários