Fonte: OpenWeather

    Homicídio


    Nu e com 7 tiros no rosto, corpo de homem é encontrado em Manaus

    O corpo estava em área de mata no "Cemitério dos Índios"

    As ocorrências de assassinatos se tornaram rotina na invasão "Cemitério dos Índios" | Foto: Josemar Antunes

    Manaus - O corpo de um homem foi encontrado no início da manhã desta sexta-feira (22), em uma área de mata na rua Culina, na invasão "Cemitério dos Índios", no bairro Nova Cidade, na Zona Norte de Manaus. 

    De acordo com informações do delegado Daniel Leão, plantonista da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), o homem foi morto com seis tiros no rosto e apresentava lesões de pauladas na cabeça. 

    "Os moradores informaram que ouviram tiros na madrugada, mas não deram muitos detalhes por medo represálias. Aqui impera à lei do silêncio", explicou. 

    Um morador da comunidade relatou à equipe de reportagem que ouviu tiros por volta das 3h30. Segundo ele, o homem seria morador da invasão "Buritizal", que fica na extremidade do "Cemitério dos Índios". 

    "Aqui, infelizmente, temos que conviver com essas mortes relacionadas ao tráfico de drogas e ficar calados. As matanças são ordenadas por traficantes de facções criminosas", revelou. 

    O corpo foi encontrado em uma área de mata
    O corpo foi encontrado em uma área de mata | Foto: Josemar Antunes

    Outros crimes

    As ocorrências de assassinatos se tornaram rotina na invasão "Cemitério dos Índios" nos últimos meses. No dia 8 de julho deste ano, um homem foi encontrado morto com três facadas na região do tórax e com o recado: "Tio Patinhas que mandou". 

    O homem teria sido morto na invasão "Urucaia", extrema com a comunidade indígena e depois arrastado. 

    A vítima foi deixada dentro de um casebre de madeira. Segundo levantamentos da polícia, a invasão é dominada por integrantes do Comando Vermelho (CV).

    Caciques mortos

    Na mesma zona foram registrados homicídios contra indígenas. Dois caciques foram assassinados por integrantes da facção criminosa Família do Norte (FDN). O cacique Willlames Machado Alencar, conhecido como “Onça Preta”, da etnia Mura, foi executado com oito tiros na tarde do dia 13 de julho. 

    A perícia realizando trabalho no local
    A perícia realizando trabalho no local | Foto: Josemar Antunes

    Testemunhas relataram que um homem, ainda não identificado, invadiu a propriedade de um amigo do cacique e, em seguida, efetuou os disparos à queima-roupa.

    No dia 27 de fevereiro deste ano um outro cacique foi assassinado também em uma comunidade indígena na Zona Norte. Francisco de Souza Pereira, da etnia Tukano, foi morto a tiros na comunidade indígena "Urucaia", no bairro Nova Cidade, na Zona Norte. 

    O cacique estava dormindo com a esposa e a filha de 11 anos. Por volta de 1h, três homens encapuzados invadiram o imóvel e atiraram contra o indígena.

    Comentários