Fonte: OpenWeather

    Apresentação


    Vídeo: ‘Ele reagiu e por isso matei’, diz assassino de empresário

    Yann Victor Fonseca Rios, de 21 anos, foi assassinado no momento que saía de casa, no Dom Pedro

    Eduardo foi apresentado nesta terça-feira (27) | Foto: Josemar Antunes

    Manaus - “Ele reagiu e por isso matei”, disse Eduardo Souza da Costa, de 24 anos, ao confessar o assassinato do empresário Yann Victor Fonseca Rios, de 21 anos. O crime aconteceu no dia 29 de julho deste ano, no bairro Dom Pedro, na Zona Centro-Oeste de Manaus. 

    Eduardo foi preso na última sexta-feira (23) e presentado em coletiva de impressa nesta terça-feira (27), na sede da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd), na Zona Centro-Oeste.

    De acordo com o delegado Guilherme Torres, titular da Derfd, Eduardo e o comparsa dele, Paulo de Tássio de Souza Picanço, de 28 anos, que foi preso pela equipe de investigação no dia do crime, abordaram Yann quando ele saía de casa com o cunhado. A dupla pretendia roubar R$ 20 mil, mas só levou R$ 900 do empresário. 

    O assaltante confessou o crime
    O assaltante confessou o crime | Foto: Josemar Antunes

    "Durante o roubo, as vítimas reagiram e travaram luta corporal com os criminosos. Em determinado momento, Eduardo conseguiu efetuar dois tiros contra o tórax de Yann, que morreu no local. O cunhado do empresário também foi baleado e precisou ser levado para hospital e passou por cirurgia", explicou. 

    "Eduardo já possui cinco processos criminais. Após a morte do empresário, ele cometeu mais três roubos nos dias 18, 19 e 21 de julho deste ano, em bairros da Zona Norte e Leste. Com a prisão de Paulo de Tássio, Eduardo fugiu e passou a comandar uma boca de fumo na Zona Sul. Ele é uma pessoa que vive do crime", completou a autoridade policial. 

    Contratado 

    O delegado Demétrius Queiroz, adjunto da Derfd, explicou que durante o interrogatório, Paulo de Tássio declarou que foi contratado por Eduardo para ajudar roubar R$ 20 mil do empresário.

    "Ele possui cinco indiciamentos e responde a 13 Boletins de Ocorrência (BOs). É uma pessoa de alta periculosidade", destacou o delegado Demétrius Queiroz. 

    Delegado Guilherme Torres, titular da Derfd
    Delegado Guilherme Torres, titular da Derfd | Foto: Josemar Antunes

    Coletiva

    À imprensa, Eduardo argumentou que está pagando pelo seu "erro". Ele afirmou que matou o empresário porque a vítima reagiu. "Estou aqui por causa do meu próprio erro. Ele reagiu e por isso matei", disse Eduardo.

    Eduardo foi indiciado por latrocínio e tentativa de latrocínio. Ao término dos procedimentos cabíveis na unidade policial, ele será levado para o Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), no quilômetro 8 da BR-174.

    Assista à reportagem da TV Em Tempo:

    Assista a reportagem | Autor: Bárbara Mitoso/ TV Em Tempo
     


    Comentários