Fonte: OpenWeather

    Violência contra a mulher


    Empresário é preso por violência doméstica contra ex-companheira

    Polícia Civil cumpriu o mandado de prisão na manhã desta sexta-feira (30), em Iranduba, onde o suspeito estava

    delegada Débora Mafra, titular daDelegacia Especializada em Crimes contra a Mulher (DECCM)
    delegada Débora Mafra, titular daDelegacia Especializada em Crimes contra a Mulher (DECCM) | Foto: DIVULGAÇÃO/PC-AM

    Manaus - A equipe de investigação da Delegacia Especializada em Crimes contra a Mulher (DECCM), sob comando da delegada Débora Mafra, titular da especializada, cumpriu, na manhã desta sexta-feira (30), por volta das 10h30, mandado de prisão preventiva em nome de um empresário de 42 anos, pelos crimes de injúria, ameaça e vias de fato, todos no âmbito da violência doméstica.

    A prisão do infrator foi efetuada em Iranduba, município distante 27 quilômetros em linha da capital. A vítima, uma mulher de 41 anos, é ex-companheira do indivíduo.

    De acordo com a autoridade policial, o infrator e a vítima se relacionaram durante sete anos. Conforme a delegada, no dia 6 de agosto deste ano, o homem ameaçou a ex-companheira dele na vidraçaria onde eles trabalhavam. Na ocasião, imagens foram capturadas pelas câmeras de segurança da empresa, causando grande comoção na sociedade.

    O empresário já havia sido preso por esses crimes no último dia 20 de agosto, mas teve a liberdade concedida por força de um alvará de soltura. No entanto, a Justiça revogou essa decisão e foi expedido um novo mandado de prisão preventiva na última quinta-feira (29/08). Logramos êxito na prisão do infrator, após o rastrearmos pela tornozeleira eletrônica que ele estava utilizando”, explicou a delegada Mafra.

    A nova ordem judicial foi expedida pela juíza Luciana de Eira Nasser, do 2º Juizado Especializado da Violência Doméstica.

    Reincidente

    A titular da DECCM destacou que o homem possui várias passagens pela polícia por violência doméstica. Tendo duas ocorrências registradas em 2014 pela mesma vítima, onde ela relata ter sofrido perturbação da tranquilidade, ameaças e injúrias.

    Ao término dos procedimentos cabíveis no prédio da especializada, o empresário será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irá permanecer à disposição da Justiça.

    *Com informações da assessoria

    Comentários