Fonte: OpenWeather

    Assassinato


    Líder comunitário é morto a facadas no ramal Água Branca 2, em Manaus

    A vítima foi assassinada por causa de uma dívida de R$ 50 referente a um serviço de capinação em um terreno

    Alcimar Monteiro foi morto em um estabelecimento comercial | Foto: Divulgação

    Manaus - O líder comunitário Alcimar da Silva Monteiro, de 56 anos, foi morto a facadas, na noite de domingo (1°), em um estabelecimento comercial no ramal Água Branca 2, no quilômetro 14, na comunidade São José, que fica no quilômetro 35 da rodovia estadual AM-010. O crime foi motivado por causa de R$ 50.

    Segundo informações da polícia, o crime ocorreu por volta das 18h. Alcimar chegou no "Bar do Seu Zé" para comprar um frango e duas latinhas de cerveja, quando dois homens, identificados como Marcos Gabriel Chagas da Silva, de 19 anos, e outro conhecido apenas como "André", chegaram embriagados cobrando o líder comunitário. 

    Durante a abordagem, Alcimar informou para dupla que não era ele que devia, mas sim uma moradora que tinha contratado os serviços de capinação. A contratante havia acordado de pagar R$ 50 para um dos homens. 

    "Insatisfeitos com a resposta, André e Marcos Gabriel permaneceram no local. Em seguida, Marcos desferiu várias facadas nas costas da vítima, que morreu na hora. Os criminosos fugiram tomando rumo ignorado. Há informações de que a dupla, minutos antes, roubou o celular com R$ 400 de um morador da região", informou um policial civil, que preferiu não se identificar. 

    Ao Portal Em Tempo, Sarah Marques Monteiro, de 23 anos, disse, no Instituto Médico Legal (IML), que o pai não tinha inimigos e morava na comunidade rural há cinco anos. 

    "O meu pai não tinha inimigos e também não estava devendo ninguém. Ele apenas intermediou os serviços de capinação no terreno de uma mulher, que ficou devendo esse valor aos assassinos do meu pai. Eu espero que a polícia prendam os culpados", desabafou. 

    A perícia criminal do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC) informou que o líder comunitário foi morto com quatro facadas. A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) abriu inquérito policial para investigar o assassinato.

    Comentários