Fonte: OpenWeather

    Homicídio


    Autônomo sequestrado na sexta-feira 13 é encontrado morto no rio Negro

    O corpo foi localizado por funcionários de um estaleiro, na orla do bairro Educandos, Zona Sul de Manaus

    A vítima foi reconhecida por um um irmão
    A vítima foi reconhecida por um um irmão | Foto: Divulgação

    Manaus - Com três tiros na cabeça, o autônomo José Stelio Franco Nery, de 29 anos, foi encontrado morto na noite desse sábado (14). Segundo testemunhas, a vítima sofreu um sequestro há dois dias e o corpo foi localizado boiando no rio Negro, na região de um estaleiro, no bairro Educandos, Zona Sul de Manaus. 

    José Stelio era usuário de drogas e estaria em uma área dominada por membros da facção criminosa Família do Norte (FDN). Ele foi raptado pelo grupo e torturado em uma canoa. 

    Uma foto que circula nas redes sociais mostra a vítima de joelhos na embarcação, com um corte no pescoço e uma arma apontada na cabeça. 

    O servente Marcelo Chaves, 19, que trabalha no estaleiro contou que, por volta das 22h, quando se preparava para descansar em uma embarcação, avistou o cadáver na superfície da água e acionou a polícia. 

    “Parecia um boneco, avisei meus colegas de trabalho e vimos que se tratava de um corpo. Fomos até a Orla do Amarelinho e chamamos os policiais”, contou o jovem. 

    O rapaz ainda foi o responsável por resgatar o corpo e levar para a margem do rio. “O cadáver estava distante, então eu entrei na água e puxei até a terra”, disse Marcelo. 

    Ainda conforme os trabalhadores do estaleiro, um homem chegou no local e reconheceu, por meio de uma pulseira, a vítima como seu irmão.

    “Esse familiar informou que a vítima havia sido sequestrada na madrugada de sexta-feira, no bairro Santa Luzia, onde a família dela também morava. Ele chorou perto do corpo e depois foi embora. Ele ainda se identificou como cabo da polícia”, relatou o servente Antônio Ferreira, 32. 

    José Stelio apresentava sinais de tortura pelo corpo. As testemunhas contaram que, além dos três tiros na cabeça, a vítima apresentava fraturas nos braços e pescoço. 

    O corpo do autônomo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML). A motivação e autoria do crime devem ser investigadas pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). A reportagem não conseguiu localizar os familiares da vítima.

    Comentários