Fonte: OpenWeather

    Surto


    Após calote, cliente faz funcionária de cooperativa refém em Manaus

    O homem pagou R$ 15 mil de entrada para receber uma casa em dezembro de 2018. O tempo passou e nada recebeu. Nervoso por estar sendo "enrolado", teve um surto psicótico

    Manaus -O sonho da casa própria tornou-se pesadelo para o cliente de uma imobiliária, em Manaus. Depois de pagar a entrada de R$ 15 mil e não receber o imóvel no prazo, um homem de nacionalidade cubana, de 36 anos, acabou preso, após ter um surto de revolta contra a empresa, na tarde desta terça-feira (17).

    Armado com um canivete, o homem foi até a Cooperativa Habitacional do Amazonas, que fez a negociação do imóvel, localizada na rua Alexandre Magno, bairro Parque Dez, Zona Centro-Sul da capital amazonense.

    Em um ato de desespero, durante a negociação do ressarcimento do valor pago, o homem fez uma funcionária da Cooperativa refém. Ele considerou que estava recebendo apenas promessas dos funcionários e teve um surto psicológico, chegando a ameaçar de morte uma das atendentes.

    Segunda a Polícia Militar, a mulher foi mantida refém com a faca sob o pescoço.

    Equipes da Rocam, 23ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) e Bombeiros foram acionadas para a ocorrência e depois de uma negociação de aproximadamente uma hora, o suspeito liberou a atendente e se entregou à polícia. 

    Empresa fica localizada no bairro Parque Dez
    Empresa fica localizada no bairro Parque Dez | Foto: Daniel Landazuri

    Dívida

    Segundo a polícia, há três anos o homem havia negociado um imóvel com a cooperativa. No decorrer desse tempo, ele pagou R$ 15 mil reais à imobiliária, mas não teve a casa entregue no prazo, prometida para o mês de dezembro de 2018. 

    Ao pedir ressarcimento do valor pago, o suspeito passou a ser ludibriado pela empresa. 

    "Hoje era mais uma data em que a cooperativa havia se comprometido para devolver o dinheiro ao homem. Falamos com o proprietário e o valor foi devolvido para a mulher do suspeito, após uma negociação no local", explicou o tenente Mascarenhas, da Rocam.

    A mulher do suspeito contou à polícia que o marido sofre com transtornos mentais.

    Jorge foi conduzido para o 12º Distrito Integrado de Polícia (DIP). Na delegacia ele ainda demostrou efeitos do surto psicológico e se jogou no chão da unidade policial.

    Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado para prestar atendimento médico ao homem. 

    Ele deve ser autuado por cárcere privado. Após os procedimentos no 12º DIP, seria levado ao Hospital Psiquiátrico Eduardo Ribeiro, para receber tratamento médico. 

    A reportagem do Portal EM TEMPO procurou os proprietários e funcionários da Cooperativa Habitacional do Amazonas, mas a administração não quis se pronunciar sobre o caso. 

    Comentários