Fonte: OpenWeather

    Assassinato


    Guerra entre FDN e CV deixa outro morto no Monte Horebe, em Manaus

    Esse é o terceiro homicídio registrado na localidade nesta segunda-feira (21). Todos, segundo a polícia, tem relação

    O homem foi morto dentro de uma casa na invasão | Foto: Izaías Godinho

    Manaus – Mais um assassinato foi registrado, nesta segunda-feira (21), na invasão Monte Horebe, na Zona Norte de Manaus. Alessandro Tiago de Jesus dos Santos, de 23 anos, conhecido como "Loirinho", foi assassinado com quatro tiros no rosto.

    "Ele foi atingido no rosto com um tiro de fuzil 762 e outros três de pistola ponto 40. Fomos acionados por meio de uma denúncia anônima por volta de 7h, mas o crime, conforme testemunhas, aconteceu 3h. Os tiros estouram a cabeça dele", informou um policial da 26ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), que pediu para não ter o nome divulgado.

    Lorinho foi encontrado dentro de uma rede
    Lorinho foi encontrado dentro de uma rede | Foto: Izaías Godinho

    Uma moradora da invasão relatou à reportagem que seis homens encapuzados levaram “Loirinho” até a casa, onde ele foi encontrado, e efetuaram os disparos.

     "Ele não morava aqui. Ele foi trazido para ser morto dentro da invasão”, contou a moradora que, por medo de represália, preferiu não se identificar.

    Esse é o terceiro registrado na invasão somente nesta segunda-feira (21)
    Esse é o terceiro registrado na invasão somente nesta segunda-feira (21) | Foto: Izaías Godinho

    Peritos do Departamento de Polícia Técnico Científica (DPTC) chegaram no local, por volta de 11h, utilizando coletes a prova de bala. O corpo foi removido para o Instituto Médico Legal (IML). 

    Relação com outros crimes 

    Pelas caricaturistas do assassinato, conforme a polícia, o crime tem relação com o outro que aconteceu mais cedo na invasão e no Viver Melhor 2. Em todos os casos, os criminosos usavam pistolas e fuzil. 

    O motivo das execuções seria a briga entre a Família do Norte (FDN) e Comando Vermelho (CV). As duas facções, que já foram aliadas, brigam pelo domínio do tráfico de drogas na capital amazonense.

    A investigação será feita pela equipe da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

    Comentários