Fonte: OpenWeather

    Justiça Federal


    'Zé Roberto da Compensa' pode voltar para presídio do Amazonas

    Documento do Ministério da Justiça e Segurança Pública revela que o prazo de permanência do preso 'Zé Roberto', no sistema penitenciário federal expira na data de 29 de novembro deste ano

    José Roberto Fernandes cumpre pena no presídio federal de Mato Grosso do Sul | Foto: Divulgação

    Manaus - O presidiário José Roberto Fernandes Barbosa, conhecido como "Zé Roberto da Compensa", "Mano Z" e dentre outros apelidos pode voltar em novembro deste ano, para o sistema penitenciário amazonense, devido uma expiração do prazo de permanência no sistema penitenciário federal, segundo informações do Ministério da Justiça e Segurança Pública. Atualmente, ele cumpre pena na penitenciária federal de Campo Grande (MS). 

    Conforme informações de um documento enviado a 2ª Vara Federal Criminal de Manaus, a Diretoria do Sistema Penitenciário Federal comunicou ao juiz federal Leonardo Araújo de Miranda Fernandes, que o prazo de permanência do preso 'Zé Roberto', no sistema penitenciário federal expira na data de 29 de novembro deste ano. 

    De acordo com informações do processo de número 0229015-25.2012.8.04.0001 do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), a defesa do detento e o Ministério Público do Estado do Amazonas (MPAM) desde o dia 27 de setembro deste ano tinham cinco dias para falar sobre a situação de "Zé Roberto" no sistema penitenciário, no entanto a promotoria do Estado não se pronunciou no prazo estipulado pela Justiça.

    Por telefone, a advogada Kelli Cristiane Aparecida Hilário, da defesa de Zé Roberto confirmou que o prazo de cinco dias já esgotou, mas que a expiração do prazo de permanência no sistema penitenciário federal ficará a cargo do juiz amazonense. "Iremos recorrer até o final de todas as decisões sobre esse caso", afirma a jurista. 

    Informações

    O documento encaminhado para a justiça federal amazonense revela que "Zé Roberto" foi incluído em 2013 no presídio de Catanduvas (PR), sendo devolvido ao Amazonas no dia 6 de março de 2014. No dia 20 de novembro de 2015, a Superintendência da Polícia Federal pediu a inclusão dele e de outros criminosos no sistema penitenciário, por meio da Operação La Muralla, que interceptou telefones da facção criminosa Família do Norte (FDN), a qual o detento é o líder.

    Segundo o Ministério de Segurança e Justiça, Zé Robert foi acusado pela Polícia Civil do Pará de ser o mandante do tráfico no Amazonas e Pará, tendo como braço direito o traficante paraense Jocicley Braga de Moura, o "Dote". O documento remetido a Justiça Federal revela que os dois são apontados como um dos principais fornecedores de drogas no Brasil e com fortes relações com narcotraficantes da Colômbia. Zé Roberto é apontado como liderança dentro do sistema penitenciário estadual de origem, tendo liderado rebeliões no estado do Amazonas, o que motivou a transferência para o Sistema Penitenciário Federal de Mato Grosso. 

    Visitas

    "Zé Roberto" recebeu 14 visitas virtuais e em parlatório e 42 atendimentos com advogados. Em julho de 2018 foi registrado que José Roberto teve crise nervosa e sofre de surto psiquiátrico no sistema penitenciário federal. 

    Apelidos

    O documento enviado a Justiça Federal revela que José Roberto é conhecido no submundo do crime como Barão do Pó, Pertubado, Pertuba, Doido, Messi, Romário, Número 1, Tsunami e Paizão.  

    Comentários