Fonte: OpenWeather

    Ato Infracional


    Indígena de 13 anos confessa ter matado colega por ciúme de garota

    Por decisão da magistrada, o adolescente agressor continuará internado na Cadeia Pública de Lábrea

    O fato aconteceu  no dia 30 de novembro, na Aldeia Nova Fortaleza, Zona Rural de Lábrea
    O fato aconteceu no dia 30 de novembro, na Aldeia Nova Fortaleza, Zona Rural de Lábrea | Foto: Divulgação

    Lábrea - O adolescente indígena Apurinã, de 13 anos, aprendido no município de Lábrea por ato infracional análogo a homicídio duplamente qualificado foi ouvido em audiência de apresentação na segunda-feira (9) e confessou a morte do colega, adolescente da mesma etnia.

    O Ministério Público do Amazonas (MPAM), pela Promotoria de Justiça de Lábrea, defendeu, na representação, as qualificadoras de fútil e meio cruel. O rapaz, acompanhado da família e de um advogado, alegou legítima defesa.

    O caso

    Segundo a investigação policial, no dia 30 de novembro, na Aldeia Nova Fortaleza, Zona Rural de Lábrea, a vítima e outro membro da comunidade estavam ingerindo gasolina no igarapé da aldeia quando o assassino se juntou a eles e passou a beber também.

    Depois de algum tempo, de surpresa, o recém-chegado atingiu um deles com um pedaço de pau. O golpe o derrubou no igarapé e, com medo, ele se afastou, nadando até o outro lado do igarapé.

    Em seguida, o agressor passou a golpear, várias vezes, a vítima, acertando-o na cabeça e no rosto. O crime teria sido motivado por um possível ciúme do suspeito por uma garota da comunidade.

    Por decisão da magistrada, após a audiência, o adolescente agressor continuará internado na Cadeia Pública do município.

    *Com informações da assessoria

    Comentários