Fonte: OpenWeather

    Estupro de vulnerável


    Em Maués, mãe obriga filha a tatuar nome de estuprador no braço

    O homem, denunciado pelo estupro, estava foragido há 30 dias e foi reconhecido e espancado pela população

    O homem estava foragido há um mês foi agredido por populares
    O homem estava foragido há um mês foi agredido por populares | Foto: Divulgação

    Manaus- José Sanderly de Assis Bastos, de 35 anos, suspeito de estuprar a enteada de 13 anos, foi espancado por populares e preso por policiais da 10ª Companhia Interativa da Polícia Militar (CIPM) em Maués (município distante 276 km da cidade de Manaus). Além dos abusos sexuais, a vítima foi obrigada a tatuar o nome do estuprador em seu braço.

    Desde os 8 anos de idade a vítima sofria com os abusos sexuais. A ação acontecia com a ciência da mãe da menor, que também obrigou a filha a tatuar o nome do estuprador no braço. O Conselho Tutelar do município fez a apreensão da criança no dia 19 de novembro, após denúncia. 

    José havia fugido da comunidade para escapar da prisão. A esposa, mãe da crianças, foi presa por permitir que os abusos. A prisão ocorreu no dia 18 de novembro. A mãe foi solta no mesmo dia e está respondendo ao processo em liberdade.

    O acusado foi encaminhado para o 48° Distrito Integrado de Polícia (DIP), onde permanecerá preso e aguardará decisão judicial. Ele responderá pelo crime de estupro de vulnerável.

    Comentários