Fonte: OpenWeather

    Investigação


    Veja última conversa de grávida antes de ser morta e jogada em igarapé

    O conteúdo da mensagem mostra que a mulher iria se encontrar com o ex-namorado, Roberto Brito, 25, apontado pela família como o principal suspeito do crime

     

    Vítima tinha 21 anos e estava grávida de 3 meses
    Vítima tinha 21 anos e estava grávida de 3 meses | Foto: Divulgação

    Manaus - O Em Tempo teve acesso à última conversa que a garçonete Miryan Moraes da Cruz, de 21 anos, teve com um amigo, identificado apenas como Lucas, horas antes de ser encontrada morta nesta quarta-feira (16). O conteúdo da mensagem confirma que a mulher iria se encontrar com o ex-namorado, Roberto Brito, 25, apontado pela família como o principal suspeito do crime. 

    Todo o diálogo acontece em apenas um minuto. Às 2h44, Miryan recebe a mensagem do amigo, que pergunta se ela ainda estava acordada. Às 2h45, a jovem responde que sim. Em seguida, Lucas fala que vai até a casa de Miryan, mas ela diz que está esperando por Roberto e pede para o amigo a encontrar depois. 

    Cinco horas depois, às 7h45, Lucas envia uma nova mensagem para Miryan e não obtêm resposta. Às 8h37, pergunta onde a amiga está e novamente não é respondido. Já pela tarde, por volta das 13h18, preocupado, Lucas envia uma sequência de textos pedindo notícias da amiga. Até aquele momento, ele não sabia que ela já estava morta.

    Veja o print da conversa

    Trecho da conversa apresentava palavras improprias e teve que ser embaçadas
    Trecho da conversa apresentava palavras improprias e teve que ser embaçadas | Foto: Divulgação

    A família da vítima acredita que a motivação do assassinato de Miryan seria o fato do ex-namorado não aceitar a gravidez dela e queria obrigá-la a abortar o próprio filho. A jovem foi brutalmente assassinada com nove facadas e teve o corpo jogado no igarapé, localizado na avenida José Romão, bairro Tancredo Neves, na Zona Leste de Manaus. 

    O irmão da vítima, o açougueiro Eliony Moraes, de 24 anos, explicou que Roberto e Miryan mantinham um relacionamento informal e a gestação dela foi até motivo de ameaças. 

    "Depois que ele descobriu que ela estava grávida, passou a não querer mais nada com ela. E queria que ela tirasse a criança, mas ela não queria. Ela sempre deixou claro que não queria nada dele e nunca pediu nada. Ela estava feliz com a gravidez e só queria viver a vida dela com o filho", disse o familiar.

    Polícia não encontrou o suspeito no endereço dele
    Polícia não encontrou o suspeito no endereço dele | Foto: Reprodução/Suyanne Lima

    Ainda conforme a família, todos os indícios apontam para Roberto como autor do assassinado de Miryan. Ele desapareceu após o corpo ser encontrado e deletou as redes sociais. Todas as denúncias foram repassadas para Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). 

    "O print da mensagem já mostramos para polícia. Fomos na casa da família do Roberto e disseram que ele saiu cedo para o trabalho e ninguém sabe dele. Uma situação muito estranha, e acreditamos que estão acobertando ele. Minha mãe tem o telefone dele e já fizemos várias ligações, mas ninguém atende", disse o irmão de Miryan. 

    A equipe de investigação da DEHS informou que também não encontrou o suspeito no endereço dele. 

    Comentários