Fonte: OpenWeather

    Prisão


    Homem diz que matou professor após ser forçado a fazer sexo, no AM

    Danixon confessou ter matado o professor, mas alega que cometeu o crime após ser forçado a fazer sexo

    Danixon mantinha relações sexuais frequentes com a vítima
    Danixon mantinha relações sexuais frequentes com a vítima | Foto: Divulgação

    Maués (AM) – Na manhã desta sexta-feira (24), Danixon Cristo Nunes, de 19 anos, apontado pela polícia como o principal suspeito da morte do professor José Valcimar Rodrigues de Souza, de 47 anos, mais conhecido como “Lulinha”, se entregou à polícia. Ele confessou o crime.

    O corpo do professor foi encontrado no último sábado (18), em estado de decomposição, dentro da própria casa, localizada Senador José Esteves I, em Maués (a 276 quilômetros de Manaus), caído em poça de sangue. A casa estava revirada.

    Conforme o delegado Rafael Schmidt, titular da 48ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Maués, Danixon se apresentou espontaneamente na delegacia acompanhado de um advogado. O jovem confessou ter matado o professor e alegou que a vítima teria tentado forçar uma relação sexual com ele.

    “As informações que ele nos repassou são muito fantasiosas. Ele tentou alegar uma legítima defesa e falou que agiu sozinho. Estamos aguardando a expedição do mandado de prisão preventiva que deverá sair hoje. Vamos continuar realizando as acareações necessárias para esclarecer esse crime”, disse o delegado.

    As investigações apontam que o professor pode ter sido morto por não ter dinheiro para pagar um programa sexual com Danixon, com quem mantinha relações sexuais frequentes. 

    Durante a ação criminosa, foram levadas a motocicleta da vítima, uma televisão e o aparelho celular do professor. A motocicleta foi recuperada pela polícia.  

    Danixon permanece custodiado na 48ª DIP para os procedimentos necessário. Caso o mandado de prisão seja expedido pela Justiça, ele deverá ser recolhido e encaminhado à Unidade Prisional de Maués.

    Comentários