Fonte: OpenWeather

    Tentativa de Homicídio


    Mãe diz que jogou recém-nascida por não saber que estava grávida

    A recém-nascida foi resgatada pela PM no telhado de uma casa no Alvorada

    A recém-nascida está na UTI da Maternidade Alvorada
    A recém-nascida está na UTI da Maternidade Alvorada | Foto: Divulgação

    Manaus - Em depoimento prestado na tarde desta terça-feira (26) aos policiais civis da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), Adriana da Lima Cunha, de 23 anos, contou que teve a filha recém-nascida sozinha durante a madrugada, por volta das 2h, e que jogou a recém-nascida no telhado da casa da tia, no bairro Alvorada, na Zona Centro-Oeste de Manaus, por não saber que estava grávida. Ele disse que ficou assustada ao sentir dores e depois dar à luz. 

    Conforme a delegada Joyce Coelho, titular da Depca, Adriana foi presa após diligências naquele bairro, onde os policiais civis constataram que ela era vizinha do lugar onde a criança foi resgatada.  

    "Ela relatou que não sabia que estava grávida e que a família também não tinha conhecimento. A partir do momento em que soubemos que a criança havia sido resgatada, iniciamos as diligências. O feto estava com 37 semanas  e mais de 2 kg e com as investigações constatamos que ela tinha ingerido uma medicação que precipitou o nascimento, com a finalidade do aborto. Ela nega saber que estava com uma gravidez tão adiantada e acabou tendo o bebê sozinha. Pelo depoimento, ela diz que teve umas dores, que quando viu que estava tendo a criança, se assustou e no impulso acabou jogando", explicou Coelho. 

    A titular da Depca informou que Adriana ainda está sendo ouvida. Ela passará por exames médicos e uma terceira pessoa, que ajudou a vítima com a medicação abortiva será investigada. A mãe do recém-nascido entregou o celular à polícia, que mostra conversas com essa terceira pessoa.

    "Ficou claro que a família dela realmente não sabia da gravidez, mas a mãe tanto sabia, quanto tentou dar fim na filha. Entendemos que ela responderá pelo aborto e homicídio tentado. A recém-nascida está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Maternidade do bairro Alvorada para ganhar peso e, após receber alta, será encaminhada a uma rede de acolhimento. O fato será comunicado ao juizado que decidirá o destino da vítima", esclareceu Joyce Coelho.

    Procedimentos 

    Adriana foi conduzida ao prédio da Depca e autuada em flagrante pelo crime de aborto tentado e homicídio tentado. Ela deverá ficar à disposição da Justiça. 

    Comentários