Fonte: OpenWeather

    Outra versão


    Em depoimento, motorista confessa que agrediu passageiro em Manaus

    Paulo Silva afirma que apenas reagiu ao assédio do jovem que denunciou as agressões

    Motorista prestou depoimento nesta sexta-feira (14)
    Motorista prestou depoimento nesta sexta-feira (14) | Foto: Naylene Freire

    Manaus - O motorista identificado como Paulo Silva, de 37 anos, prestou depoimento na tarde desta sexta-feira (14) no 10º Distrito Integrado de Polícia (DIP), na Zona Centro-Oeste da capital. Ele trabalha com refrigeração e é o verdadeiro condutor envolvido em um caso de agressão, supostamente motivado por homofobia, praticado contra um passageiro durante uma corrida por aplicativo. Em depoimento, Silva disse que apenas reagiu ao assédio do jovem que denunciou as agressões.

    A sede do 10º DIP ficou lotada de motoristas de aplicativo, que deram apoio a Paulo. Ele também deu sua versão da história para a imprensa.

    "Assim que ele pediu a corrida, me enviou uma mensagem perguntando se eu queria 'uma mamada'. Ele já entrou alcoolizado no veículo. Começou falar coisas indecentes e, quando eu menos esperei, ele colocou a mão no meu pênis e apertou. Nessa hora eu não me segurei. Segurei a mão dele e bati. Eu não me arrependo, apenas me defendi. Eu não sou homofóbico, não tenho preconceito. Mas ele me desrespeitou. Se fosse mulher eu também não teria gostado. Isso não é certo", contou o acusado. 

    Outros motoristas de aplicativo foram até a delegacia
    Outros motoristas de aplicativo foram até a delegacia | Foto: Naylene Freire

    Em seu depoimento à polícia, ele manteve a versão e afirmou ter agido em legítima defesa. 

    "A vítima registrou boletim de ocorrência nesta quinta-feira. Acionamos o motorista da conta que informou que o veículo havia sido emprestado para um tio. Procuramos este homem que já prestou depoimento e confirmou a agressão. O que ele negou foi a acusação de homofobia. Neste momento, vamos investigar as provas de áudio e mensagens que os dois possuem, para podermos concluir o caso” declarou o João Neto, delegado titular do 10º DIP. 

    O caso

    As agressões aconteceram na última quarta (12) e ganharam repercussão após a vítima postar o ocorrido em suas redes sociais.

    Jovem denunciou agressões por meio de uma rede social
    Jovem denunciou agressões por meio de uma rede social | Foto: Reprodução

    O motorista de aplicativo Júnior Cruz da Silva, que foi apontado - inicialmente - como autor das agressões, chegou a postar um vídeo afirmando que apenas emprestou a conta no aplicativo de viagens para o agressor - que é familiar dele. Além disso, ele registrou um Boletim de Ocorrência logo após ser informado sobre o caso.

    Outros motoristas de aplicativo

    Thiago Rodrigues é coordenador dos motoristas na região e achou importante apoiar o motorista neste dia. Segundo ele, Paulo reagiu por impulso há um problema que a categoria enfrenta diariamente.

    "Somos assediados com frequência por homens e mulheres. Agressões físicas e verbais são frequentes em nosso dia-a-dia. Acredito que ele agiu instintivamente. Foi vítima e acabou se tornando culpado. Queremos que a mídia conte a versão dele também e que ambas as partes sejam ouvidas. Nossa categoria precisa ser respeitada", comentou.

    Leia mais: 

    'Não fui eu', diz motorista de app acusado de agressão e homofobia

    Homofobia: Jovem denuncia agressão de motorista de App em Manaus

    Comentários