Fonte: OpenWeather

    Morte violenta


    Em Manaus, homens são presos com cadáver no porta-malas

    O corpo estava com várias facadas, enrolado em um lençol e seria desovado pelos criminosos

    | Foto: Divulgação

    Manaus - O corpo de um homem, ainda não identificado, foi encontrado pela polícia no porta-malas de um carro, na madrugada deste domingo (16). Dois homens acabaram presos durante a abordagem na rua Mogi das Cruzes, bairro São José 1, Zona Leste de Manaus. 

    Policiais da Força Tática estavam em patrulhamento quando se depararam com um carro, modelo Celta, cor preta, placa NOY-0496, que estava em alta velocidade. A situação chamou a atenção dos policiais, que tentou abordar o veículo, mas os ocupantes não obedeceram ao pedido de parada.

    Em uma rápida perseguição, os suspeitos colidiram o Celta em outro carro que estava estacionado na via pública. A equipe da Força Tática fez a revista no veículo e, inicialmente, não encontraram nada. Ao verificar o porta-malas, eles viram um homem ensanguentado, enrolado em lençóis. 

    Os polícias ainda chegaram a acionar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas a vítima já estava morta. O corpo apresentava vários cortes profundos, inclusive na região da cabeça. A polícia acredita que eles tentaram arrancar a cabeça da vítima com um facão. O cadáver foi removido para o Instituto Médico Legal (IML), onde até às 10h deste domingo não havia sido identificado. 

    Ainda no local do crime, os policiais da Força Tática questionaram se os suspeitos possuíam armas. Um deles informou que guardava os objetos em uma residência, localizada na Alameda E, conjunto Castanheira. No endereço foi encontrado um revólver, calibre 38 e uma pistola 9mm. O suspeito ainda entregou um terceiro envolvido no crime, que é morador do bairro Nossa Senhora de Fátima. A equipe se deslocou ao local e encontrou mais um revólver, calibre 38, e um simulacro de fuzil. 

    Os suspeitos e os armamentos apreendidos foram encaminhados à sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). Os suspeitos ainda estão sendo interrogados.

    Veja a reportagem: 


    Comentários