Fonte: OpenWeather

    ato obsceno


    Vídeo: frentista flagra homem se masturbando enquanto abastecia carro

    Rapaz se masturbava enquanto era atendido em posto de gasolina. O tarado foi preso e solto após prestar esclarecimentos; veja reportagem

     

    O boletim de ocorrência foi registrado como ato obsceno
    O boletim de ocorrência foi registrado como ato obsceno | Foto: Divulgação

    Uma frentista acusa um homem de assédio sexual em São Paulo. Com o celular, a vítima gravou o rapaz se masturbando enquanto era atendido em um posto de gasolina. Segundo a atendente, ele ia ao local e ficava encarando as mulheres pelo retrovisor, sempre fazendo o gesto obsceno para que todas vissem.

    "Ele fala para colocar vinte reais de gasolina e, na hora que eu vou perguntar para ele se ele quer que eu veja o nível da água, de óleo, ele começa a se masturbar olhando para mim", diz Gislaine Nascimento Dias, a frentista que filmou e denunciou o abuso. Ela também gravou a placa do carro do tarado e levou todas as informações para a polícia.

    O homem foi conduzido para o Distrito Policial. O boletim de ocorrência foi registrado como ato obsceno. O rapaz prestou esclarecimentos e foi liberado. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, o delegado responsável pelo caso já entrou com pedido de prisão preventiva contra o homem. A decisão agora está nas mãos da justiça.

    Segundo a advogada Tatiana Naumann, a lei deveria ser mais severa para estes crimes. "Por isso que é tão importante um enquadramento como importunação sexual, que é a pena maior. Se ele realmente for responder por ato obsceno é desestimulante até para a vítima, porque ela vai registrar a ocorrência e praticamente nada vai ocorrer", disse.

    Veja a reportagem

    | Autor: Divulgação
     

    *Com informações do site SBT Notícias 

    Leia mais 

    Vídeo: ex-militar da aeronáutica é preso por estuprar netas no RS

    Caseiro é espancado após tentar estuprar menino de 8 anos em Manaus

    Vídeo: restos mortais são achados em beliche de penitenciária do Pará


    Comentários