Fonte: OpenWeather

    DEVER CUMPRIDO


    Políticos do AM dizem não ter saudades do parlamento estadual

    Nomes e rostos conhecidos do eleitorado, ex-políticos afirmam não ter mais planos para voltar às tribunas

    Casas legislativas não são mais opção para quem já ficou muito tempo na política | Foto: Janailton Falcão/Arquivo EM TEMPO

    Manaus - Servidor aposentado da Caixa Econômica Federal, Francisco Souza é um dos três nomes que já exerceram mandatos políticos de êxito, mas que não têm planos para voltar a ocupar a tribuna de uma Casa Legislativa. Deputado estadual por cinco mandatos consecutivos, ele deixa o exercício parlamentar e a política para se dedicar a projetos pessoais e à família.

    O ex-parlamentar do Podemos entrou na política em 1994, quando foi candidato a deputado federal, conseguindo a suplência. Em 1998, foi eleito deputado estadual, o que marcou o início dos 20 anos em que exerceu, de forma consecutiva, o cargo. A última disputa eleitoral da qual participou foi em 2018, quanto tentou novamente ser deputado federal e não obteve êxito.

    “Quando concorri no ano passado, foi uma opção de vida. Sabia que seria difícil. Não deu certo e está tudo bem, saí com o dever cumprido. Também estou aposentado da Caixa Econômica. Sinto que chegou a hora de parar”, diz.

    Francisco Souza é funcionário aposentado pela Caixa Econômica Federal, e por 20 anos, foi deputado estadual do Amazonas
    Francisco Souza é funcionário aposentado pela Caixa Econômica Federal, e por 20 anos, foi deputado estadual do Amazonas | Foto: Divulgação

    Aos 66 anos de idade, Francisco Souza destaca que atualmente trabalha como consultor empresarial e frisa que não há frustrações em sua saída da vida política. Ele também avalia de forma positiva o trabalho desempenhado pelo governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e tece críticas quanto à gestão do governador do estado, Wilson Lima (PSC).

    “Consegui ser deputado por 20 anos e não me arrependo. Estou satisfeito com minha decisão, tenho tempo para a família e penso em negócios. Apesar das dificuldades que ainda estão por vir este ano, creio que 2020 será, economicamente, um bom ano para o Brasil. O governo Bolsonaro vai superar tudo isso. À nível estadual, estamos vivendo um apagão administrativo e governamental. É inexistente um governo”, afirma.

    Da tribuna para o púlpito

    Outro nome que também está longe das tribunas é Braz Silva. Jornalista e radialista, ele foi eleito vereador de Manaus pelo Partido Progressista (PP), e exerceu o mandato de 2004 a 2008. Ele destaca que durante o mandato trabalhou em prol de questões voltadas para a educação e saúde.

    “Sempre estive ao lado das lutas dos profissionais da educação, além de lutar contra as péssimas condições do transporte coletivo. Uma das leis de minha autoria é a que obriga a colocação de cartazes e outros tipos de divulgação em órgãos públicos sobre os benefícios do Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (Dpvat)”, explica.

    Braz Silva foi vereador de 2004 a 2008, é radialista, e o último cargo público que exerceu foi o de diretor de Comunicação da Aleam
    Braz Silva foi vereador de 2004 a 2008, é radialista, e o último cargo público que exerceu foi o de diretor de Comunicação da Aleam | Foto: Divulgação

    Atualmente, Braz Silva é pastor evangélico e diz não saber se vai voltar a disputar um cargo eletivo. Filiado ao Partido Republicano (PR), ele também declarou que deve pedir sua desfiliação em breve.

    “Tenho a sensação de dever cumprido. Se um dia vou voltar à vida pública, Deus é quem sabe. Estou sempre à disposição. Apesar de filiado ao PR, não possuo mais vínculos políticos ou ideológicos com o partido e devo me desfiliar nas próximas semanas. Acredito que a política brasileira está precisando de pessoas sérias, idôneas e capazes de fazer algo de bom pela coletividade” afirma.

    O velho comunista

    Com o passar dos anos e a participação ativa nos pleitos eleitorais, a figura carismática de Luiz Navarro (PCB) tornou-se conhecida entre os eleitores amazonenses. Após 30 anos de vida pública e conhecido por nunca se aliançar a outros partidos, o veterano militante comunista se despediu da política no ano passado.

    Navarro possui uma extensa participação em processos eleitorais no Amazonas. Foi, por seis vezes, candidato a cargos majoritários no estado, com candidaturas que visavam o Senado, Prefeitura, Governo do Estado e Câmara Municipal de Manaus (CMM). Entretanto, em todos os anos de carreira política, nunca foi eleito.

    Luiz Navarro foi presidente do PCB por muito tempo e candidato a cargos legislativos e majoritários, mas nunca chegou a ser eleito
    Luiz Navarro foi presidente do PCB por muito tempo e candidato a cargos legislativos e majoritários, mas nunca chegou a ser eleito | Foto: Márcio Melo/Arquivo EM TEMPO

    Após deixar a presidência do Partido Comunista Brasileiro (PCB), cargo que ocupou durante 17 anos, em junho do ano passado, ele optou por atuar nos bastidores da sigla e focar em projetos pessoais.

    “Saí da política com o sentimento de agradecimento pelo carinho e pela atenção que a população deu à nossa candidatura e ao programa de governo, mesmo que isso não tenha se expressado através de votos”, concluiu.

    Edição Web: Lucas Vítor Sena

    Leia mais

    'O próximo passo da CPI e a quebra dos sigilos", diz Álvaro Campelo

    Vídeo: TRE retira acusações contra ex-vice governador do Amazonas

    Com tumulto, CMM realiza audiência sobre transportes por aplicativos

    Comentários