Fonte: OpenWeather

    Série Netflix


    'Bandidos na TV' mostra caráter vingativo de Braga, diz Arthur Neto

    Ao comentar sobre a série documental ‘Bandidos na TV’, o prefeito de Manaus, Arthur Neto, afirmou que os relatos mostram que o ex-governador Eduardo Braga perseguiu o Wallace Souza

    O prefeito de Manaus fez a declaração durante uma coletiva de imprensa | Foto: Mário Oliveira/Secom

    Manaus - Assunto mais comentado em Manaus no final de semana, a série ‘Bandidos na TV’ não passou despercebida pelo prefeito Arthur Neto (PSDB), que afirmou, nessa segunda-feira (3), que a história do ex-deputado estadual Wallace Souza contada no documentário de sete capítulos deixa claro o caráter vingativo do atual senador e ex-governador Eduardo Braga (MDB), uma vez que, como apontado por fontes do documentário, Wallace seria adversário político numa eventual disputa pelo governo do Estado.

    “Ficou provado que o então governador Eduardo Braga é uma pessoa extremamente vingativa, que usa todos os meios para prejudicar seus adversários”, afirmou.

    O chefe do Executivo Municipal disse acreditar, também, que houve falta de decoro e omissão da verdade por parte de Souza.

    “Ficou, para mim, provado que houve falta de decoro. O deputado Wallace deveria ter seu mandato cassado sim, na medida em que ele se contradisse. Dizia que não conhecia o traficante, mas conhecia. Não foi comprovado, ao meu ver, o assassinato feito por ele. Porém ficou bastante comprovado os assassinatos pelo seu filho. Houve crimes cometidos pelo Wallace, como por exemplo a omissão de certas verdades, a ligação pessoal com certos traficantes. Merecia ser cassado e merecia alguns anos de prisão por isso. O filho dele eu não tenho dúvida que participou de forma dolosa”, afirmou.

    "Bandidos na TV"

    Lançada na última sexta-feira (31), a série é baseada na vida do ex-deputado amazonense Wallace Souza e detalha momentos da vida do parlamentar acusado de comandar um esquema de execução de traficantes para aumentar a audiência do programa Canal Livre, do qual era apresentador. O assunto é um dos mais comentados desde a estreia e relembrou assassinatos de grande repercussão na capital, como o de Frank Oliveira da Silva, o ‘Frankzinho do 40’, em 2013.

    CMM

    Na primeira sessão plenária da Câmara Municipal de Manaus (CMM), após a estreia da série, os parlamentares ignoraram o assunto. Na casa legislativa apenas o vereador Elias Emanuel (PSDB) se manifestou sobre o assunto durante toda a sessão.

    Para o parlamentar, a série revelou um problema ignorado pelas autoridades de segurança durante o escândalo envolvendo o ex-deputado: as facções criminosas.

    “É uma série bem elaborada, que coloca Manaus no centro da violência do país com esse episódio. Antes, tínhamos traficantes que eram personalidades em determinados pontos da cidade. Hoje isso já não existe. O que temos é o duelo de facções criminosas. As autoridades do estado estavam focadas no ex-deputado e esqueceram da profissionalização dessas facções”, disse.

    A reportagem entrou em contato com a assessoria do senador Eduardo Braga, mas até o fechamento da edição não obteve resposta.

    Leia mais: 

    Repercussão sobre série de Caso Wallace passa despercebida na CMM

    Juíza determina que PMAM afaste policiais condenados no "Caso Wallace"

    'Bandidos na TV': Netflix divulga trailer sobre o 'Caso Wallace'

    Comentários