Fonte: OpenWeather

    Entrevista


    Zé Ricardo diz que PT não atrapalhará candidatura à Prefeitura em 2020

    Único parlamentar amazonense a ser contra a reforma da Previdência, o petista é bem cotado em todas as pesquisas de intenções de votos para a Prefeitura de Manaus

    José Ricardo durante entrevista no EM TEMPO | Foto: Leonardo Mota

    Manaus - Deputado federal mais votado do Amazonas, José Ricardo (PT) segue em alta na preferência do eleitorado, tanto que aparece bem cotado em todas as pesquisas de intenções de votos para a Prefeitura de Manaus no ano que vem.

    Em visita ao EM TEMPO, o parlamentar diz que não cogita deixar o Partido dos Trabalhadores e que a sigla no Amazonas nada tem a ver com os escândalos de corrupção que levaram à saída da ex-presidente Dilma Rousseff do poder e à prisão do ex-presidente Lula.

    Zé Ricardo conta que tem 23 anos de militância no partido e que a legenda tem mais acertos do que erros, e no Amazonas não há um único integrante envolvido em casos de corrupção.

    “As pessoas não precisam se preocupar com essa questão partidária. O problema não é a sigla, sim o comportamento e a índole do candidato”, informa. Para ele, o “pé atrás” da população com o PT é natural, porque, em 2016, acreditava-se que o ex-senador Aécio Neves (PSDB-MG) ganharia as eleições e, com a vitória de Dilma, a legenda trabalhista “ficou visada para ser derrubada” por aqueles que desejavam ficar no poder.

    José Ricardo foi o único deputado do Amazonas que votou contra a reforma da Previdência
    José Ricardo foi o único deputado do Amazonas que votou contra a reforma da Previdência | Foto: Leonardo Mota

    Assim como os possíveis adversários políticos na próxima eleição, ele diz que ainda é cedo para falar sobre candidatura, mas confirma que seu nome está à disposição do partido. Sobre o assunto, ele ainda reforça que é natural que os nomes preferidos comecem a aparecer com um ano de antecedência.

    “É normal que as empresas testem nomes e ouçam sobre as intenções de voto. Meu nome surge desde as primeiras pesquisas, mas as decisões devem acontecer só a partir do próximo ano”, disse.

    José Ricardo revela que vai usar o período de recesso da Câmara dos Deputados para se reunir com diretores da Caixa Econômica Federal a fim de saber sobre o andamento das obras de habitação no Estado, que estão paralisadas e com verba reduzida. “No governo Lula, havia um investimento de R$24 bilhões. Com a entrada do governo Michel Temer (MDB), esse recuso chegou a R$ 5 bilhões e agora há disponível apenas R$ 2 bilhões. Eu irei fiscalizar obras paradas no interior do Amazonas”, explicou.

    O petista está na capital amazonense para visitar municípios e fiscalizar obras do ‘Minha Casa Minha Vida’
    O petista está na capital amazonense para visitar municípios e fiscalizar obras do ‘Minha Casa Minha Vida’ | Foto: Leonardo Mota

    Reforma Tributária

    Pensando na próxima reforma que está por vir, a Tributária, José Ricardo reforçou semana passada a Comissão Especial, que vai debater todos os pontos da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 45/2019. Ele considera que é preciso discutir as questões do Brasil, mas, principalmente, a Zona Franca de Manaus e a defesa dos seus incentivos e vantagens comparativas. “Nessa importante Comissão Especial da casa, farei a minha parte enquanto parlamentar federal pelo Amazonas. Temos que defender projetos que desenvolvam o Estado. E a Zona Franca é um deles”, declarou.

    Numa avaliação inicial, ele explicou que essa proposta de reforma fere o Pacto Federativo, retirando poderes de estados e municípios, sendo considerada inconstitucional. Isso porque estados não mais poderão fazer diferenciação de alíquotas em razão dos produtos. “E, para a Zona Franca de Manaus, é extremamente prejudicial, porque tira as vantagens comparativas das empresas lá instaladas”.

    Leia mais: 

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    LOA e transporte coletivo estão entre as pautas prioritárias da CMM

    Justiça bloqueia R$ 6,8 mi de Bi Garcia, prefeito de Parintins

    Comentários