Fonte: OpenWeather

    Notas de Contexto


    Terror no Alto Solimões: narcotraficantes matam pessoas em Tabatinga

    A ação dos narcotraficantes nas fronteiras esquentou a pauta de uma reunião realizada na terça-feira (29)

    O deputado estadual Cabo Maciel apelou aos órgãos policiais do Governo do Estado | Foto: Divulgação

    Em Tabatinga, no Alto Solimões, a ousadia dos narcotraficantes passou dos limites. Segundo o deputado estadual Cabo Maciel (PL), eles agora invadem residências e matam pessoas à luz do dia ou a qualquer hora da noite. “É o terror”, dispara ele.

    A situação no município, que faz fronteira com a cidade colombiana de Letícia, piorou desde que o Governo Federal desativou a Base Anzol com que a Polícia Federal fiscalizava a tríplice fronteira Brasil, Colômbia e Peru.

    Maciel apelou aos órgãos policiais do Governo do Estado em favor de providências urgentes em virtude do desespero de famílias à mercê dos narcotraficantes.

    Perigo nas fronteiras

    A ação dos narcotraficantes nas fronteiras esquentou a pauta de uma reunião realizada na terça-feira (29), em Manaus, entre autoridades da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) e os integrantes do Programa de Proteção Integrado de Fronteiras (PPIF), do Governo Federal, no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC).

    O objetivo é apertar o cerco ao tráfico e ao crime organizado nas regiões de fronteira por meio de ações integradas das Forças Armadas com os estados e municípios em todo o País.

    Guerra ao preconceito

    Apoiador do presidente Jair Bolsonaro nas eleições de 2014, o governador Wilson Lima, com os olhos postos em suas responsabilidades em relação à Amazônia, discorda do posicionamento preconceituoso do chefe do Palácio do Planalto segundo o qual o Sínodo Católico ocorrido em Roma é uma questão de segurança nacional.

    Bolsonaro vê o Sínodo como uma porta aberta para a intromissão estrangeira na região, enquanto Lima pensa diferente, entendendo que o evento de Roma abre alternativas importantes para a atração de investimentos internacionais na Amazônia.

    Pablo assanhado

    Pré-candidato a prefeito de Manaus, o deputado federal Delegado Pablo (PSL-AM) agora vê defeitos em todas as áreas da capital.

    Ontem, no plenário da Câmara dos Deputados, ele alertou para o fato de 87% das casas da cidade de Manaus não ter saneamento básico. Os números são do Painel Saneamento Brasil, do Instituto Trata Brasil (ITB).

    Contrato suspeito

    Um inquérito civil, aberto pelo Ministério Público do Estado em Coari, vai investigar as ligações entre a Prefeitura coariense, o Banco Bradesco e a empresa North Consultoria Empresarial Ltda.

    O MP-AM suspeita de irregularidades no processo de contratação do Bradesco para elaborar a folha de pagamento municipal entre maio de 2018 e outubro de 2019.

    Trata-se de mais uma encrenca para o prefeito Adail Filho, que se complicou na “Operação Patrinus” do MPE-AM há poucas semanas.

    Ultimato petista

    A Comissão Executiva Estadual do PT-AM terá a data-limite de 9 de novembro para encerrar todos os procedimentos burocráticos sobre o 7º Congresso que reelegeu o deputado Sinésio Campos na presidência do partido no Amazonas.

    O sinal vermelho está aceso nas hostes petistas, já que o Congresso não concluiu a eleição dos membros do Diretório Estadual, da Comissão de Ética e do Conselho Fiscal.

    Baixaria geral

    Como é sabido, o 7º Congresso, que reelegeu Sinésio Campos, quase terminou em pancadaria por conta do clima de baixaria entre os partidários do presidente reeleito e aliados do deputado federal José Ricardo e do sindicalista Valdemir Santana.

    Insatisfeitas, as concorrentes derrotadas não aceitaram a reeleição de Campos e apelaram à Comissão Nacional do partido, presidida por Gleisi Hoffmann, que quer impor goela abaixo a pré-candidatura de Zé aos “companheiros” estaduais.

    Manifestações aumentam

    Em várias cidades interioranas, aumentam as manifestações de protestos contra os desserviços da empresa Amazonas Energia. O fato levou o deputado João Luiz (Republicanos) a propor uma Cessão de Tempo na Assembleia Legislativa para que a cúpula da empresa explique o porquê da situação aos parlamentares estaduais.

    Presidente da Comissão de Defesa do Consumidor (CDC) da Aleam, Luiz alertou que as manifestações aos poucos vão ganhando proporções gigantescas, como as ocorridas nos municípios de Nhamundá, Carauari e Codajás. “O povo tá perdendo a paciência”, diz ele.

    PP reúne em Brasília

    Respectivamente presidente e secretário-geral do Progressistas (PP), os irmãos deputados Átila Lins e Belarmino Lins participam, nesta quarta-feira, em Brasília, de uma reunião do Diretório Nacional do partido para tratar de questões referentes às eleições municipais de 2020.

    Sob a presidência do senador Ciro Nogueira (PP-PI), a reunião acontecerá a partir das 10 horas, na Ala das Lideranças do Senado.

    Crise hoteleira

    A crise no setor hoteleiro do Amazonas, que levou ao fechamento de grandes hotéis do Estado, como o Tropical e o Ariaú Tower, repercutiu ontem na Aleam. O deputado Fausto Jr. pediu providências sobre a criação de projetos para reaquecer o turismo no Amazonas.

    Conforme o deputado, o cancelamento de voos para os municípios de Tefé, Coari e Eirunepé, anunciados pela empresa MAP Linhas Aéreas, prejudica ainda mais o turismo no interior do Estado.

    “Maus Caminhos”

    Além do ex-presidente Lula, oito condenados da “Operação Maus Caminhos” poderão ser soltos caso o Superior Tribunal Federal rejeite, em novembro, a validade das prisões após condenação confirmada na segunda instância da Justiça.

    O plenário do STF retoma o julgamento no dia 7 da próxima semana.

    Pedra no caminho

    Proposta do presidente do STF, ministro Dias Toffoli, virou uma pedra no meio do caminho dos condenados que esperam ser salvos da cadeia após condenação em segunda instância.

    Pela proposta, o Congresso Nacional poderá mudar o Código Penal e evitar a prescrição de crimes.

    Gilmar a favor

    O polêmico ministro Gilmar Mendes, do STF, elogiou a proposta de Dias Toffoli para impedir prescrição de pena é “adequada”. A medida sugerida por Toffoli tem o objetivo de suspender o prazo de prescrição de um crime depois que um réu for condenado em segunda instância.

    “Eu acho que é uma questão que já está sendo discutida e acho que é adequada, porque é um dos problemas que normalmente ocorrem”, disse Gilmar ao Estadão.

    Comentários