Fonte: OpenWeather

    Eleições


    Novatos entram na disputa pela prefeitura de Manaus

    Desconhecidos do grande público eleitor de Manaus, Jonas Araújo já coordenou greve dos professores; enquanto o advogado Félix Ferreira comanda a ONG Mobiliza Amazonas

    Nomes desconhecidos surgem na corrida eleitoral como o do professor Jonas Araújo | Foto: Divulgação

    Manaus- A oito meses para iniciar oficialmente a campanha para o pleito de 2020 que vai eleger o novo prefeito de Manaus e vereadores da Câmara Municipal de Manaus (CMM), nomes de pré-candidatos para prefeito já foram confirmados. Entre veteranos, ex-prefeitos e nomes conhecidos na política amazonense, nomes desconhecidos surgem na corrida eleitoral como o do professor Jonas Araújo e do advogado Félix Ferreira.

    No entanto, para medir a aceitação popular nas urnas, os prefeituráveis terão de enfrentar nomes já conhecidos do eleitor e que aparecem entre os preferidos nas últimas pesquisas de intenção de voto, como David Almeida (Avante), Amazonino Mendes (sem partido), José Ricardo (PT), Marcos Rotta (DEM), Alberto Neto (Republicamos), Carlos Almeida (PRTB), Josué Neto (PSD), Wilker Barreto (Podemos), Rebeca Garcia (PP), Serafim Corrêa (PSB), Eduardo Braga (MDB) e Marcelo Ramos (PL).

    Com as pré-candidaturas confirmadas, Jonas Araújo e Félix Ferreira possuem um cenário em comum - a participação ativa em movimento sociais no Amazonas e estão inseridos em uma transformação do cenário político local.

    Com participação política ativa na sociedade desde os 16 anos, Jonas Araújo é professor licenciado em História e pós-graduado em Ética e Política. Atua em movimentos estudantis e em defesa dos direitos professores, sendo coordenador da greve dos professores do Estado. Atualmente, Jonas é filiado ao Partido Socialismo e Liberdade (Psol) e faz parte do movimento primavera-socialista e tem participação no Fórum das Águas com pauta específica contra a construção do Porto das Lajes, localizado na Zona Leste, e na preservação do Encontro das Águas.

    “Aos 16 anos, iniciei minha trajetória no movimento social pelo movimento estudantil secundaristas. Eu entrei na Pastoral da Juventude da Igreja Católica. Participei do Fórum de Políticas Públicas Manaus que fez o processo para congelar a tarifa de ônibus de 2006 que teve a planilha adulterada pelo Sinetram. Em seguida, entrei no movimento estudantil universitário e fui diretor do Centro Acadêmico de História”, comenta Jonas.

    Para o pré-candidato, Manaus é uma das cidades ricas que necessitam de melhorias que visem a uma melhor distribuição de investimento. “A cidade de Manaus é umas das capitais mais ricas deste país, contudo ainda estamos longe de resolver os problemas sociais do povo manauara. Pensar a distribuição de forma equitativa na cidade é o nosso Norte”, destaca Jonas Araújo.

    O principal objetivo da candidatura do filiado ao Psol é apresentar para Manaus um planejamento do orçamento municipal que contemple tanto a periferia quanto os bairros de classe média e classe alta da cidade. “Precisamos pensar em uma cidade mais humana. A presença de políticas públicas na periferia da cidade garante uma qualidade de vida, reduz a violência, eleva a qualidade educacional e, principalmente, eleva as condições de vida do povo manauara e da classe trabalhadora. Isso só é possível em uma prefeitura que tenha um pensamento de esquerda, socialista e progressista”, destaca.

    A pré-candidatura a prefeito de Manaus de Félix Ferreira pode até ser desconhecida para uma parte da população, mas o advogado e empresário, que é natural de Rio Branco, capital do Acre, Félix Ferreira, é também investidor social e presidente da organização não governamental (ONG) Mobiliza Amazonas. Ela atua em Manaus desde 2018. Na política, Ferreira já foi candidato a deputado estadual e participou ativamente de campanhas das últimas eleições para governador.

    A candidatura de Félix Ferreira ainda está sem partido, mas possui investimentos financeiros e ele estuda quatro partidos para aceitação. Félix também atua há tempos em questões sociais na cidade, o que levou a receber o convite. “Quando as pessoas, que estão cansadas da velha política, me chamaram inicialmente eu não aceitei. Mas temos um propósito”, comenta.

    Ferreira destaca a importância das participações de Organizações Não Governamentais para o funcionamento da cidade. “Atualmente, muitas ONGs, igrejas, fazem o papel que o Estado deveria fazer por esta gestão. Eles fazem muito o intermédio desse procedimento”, comenta.

    Para o pré-candidato, a população de Manaus precisa de alguém que pense nas minorias e nas necessidades mais básicas da população em comunidades e bairros esquecidos com o crescimento da cidade. “A população está desacreditada. Em uma análise de corrupção tão grande, não está sobrando o mínimo de investimento para quem mais necessita”.

    As principais estratégias para a campanha de Félix estão em alcançar estas necessidades esquecidas pelo poder público. “O mote da nossa campanha é trabalhar a questão social, alcançar os investimentos nos mais pobres também. Quando a gente fala em infraestrutura não se pode falar em investir em mais ônibus sendo que na comunidade não tem nem parada de ônibus”, destaca.

    Cenário político

    Segundo o sociólogo Carlos Santiago, existem três fatores essenciais de análise no cenário político no Amazonas, principalmente em Manaus, que devem ser observados no aparecimento de novos nomes. “O cargo de prefeito está aberto e não existe favorito e sim diversos fatores para que talvez as eleições tenham uma surpresa”.

    Carlos Santiago destaca que um dos fatores que mudam o cenário político local é o fim das coligações compor chapas de partidos nas eleições de vereadores, a partir de 2020. E também o sentimento de renovação que teve forte presença nas eleições de 2018 para governadores e presidente.

    “O cenário não apresenta favoritismo e o sentimento de renovação da população é grande que, mesmo um partido que não tem tanto investimento financeiro, é capaz de eleger um candidato para algum cargo; o que viabiliza que novos candidatos estejam em uma perspectiva positiva nas eleições de 2020”, comenta.

    *Com informações da assessoria 

    Comentários