Fonte: OpenWeather

    Notas da Contexto


    BR-319: novo conto do vigário ?

    O ministro Tarcísio assegurou pavimentação, e não asfaltamento, do trecho do meio da rodovia para 2021

    O general declarou que o asfaltamento só ocorreria em 2022 | Foto: Divulgação

    Manaus- A falta de simetria entre as afirmações do diretor-geral do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte), general Antônio Leite Filho, e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, leva à crença de que o Governo Federal prepara um novo “conto do vigário” contra o Amazonas acerca do apregoado asfaltamento do trecho do meio da BR-319.

    Em setembro último, em audiência pública na Câmara dos Deputados, o general declarou que o asfaltamento só ocorreria em 2022, isso com muita vontade política.

    Na última quinta-feira (14), em Manaus, o ministro Tarcísio assegurou pavimentação, e não asfaltamento, do trecho do meio da rodovia para 2021. A dessintonia é patente.

    Licenciamento, o nó

    Há mais de dez anos, a questão do licenciamento ambiental vive servindo de desculpa para o Governo Federal não asfaltar, ou pavimentar, o trecho do meio da BR-319.

    O licenciamento é o nó maior que ninguém consegue desatar para que a BR seja concluída desde os tempos de Lula e Dilma Rousseff no Palácio do Planalto. O próprio ministro Tarcísio Freitas já disse à imprensa que o início de obras no polêmico trecho só aconteceria se o Ibama não alegasse entraves ambientais.

    Até abril

    O deputado estadual Delegado Péricles, agora ex-presidente do Diretório Municipal do PSL, vai aguardar até abril de 2020 para se filiar ao novo partido do presidente Jair Bolsonaro, o Aliança Pelo Brasil.

    Abril é o prazo máximo que o deputado respeitará, seis meses antes das eleições para a Prefeitura de Manaus. No PSL, Péricles articulava com o deputado federal Delegado Pablo a melhor estratégia para o partido marcar bem sua participação na próxima batalha eleitoral na capital do Estado.

    PSL rachado

    Em nível nacional, o PSL está rachado. Uma corrente quer a expulsão dos parlamentares que deixarem a legenda para seguir Jair Bolsonaro. A outra prega a suspensão como punição aos infiéis.

    Os parlamentares estão com uma pulga atrás da orelha, preocupados com a posição do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) em relação à questão.

    A Comissão de Ética do PSL inicia, na terça-feira (19), a análise dos casos de 17 parlamentares, entre federais e estaduais, que resolveram assinar ficha no Aliança Brasil assim que ele for oficializado.

    Escândalo em Caapiranga

    O deputado estadual Ricardo Nicolau (PSD) denunciou, na Assembleia Legislativa, um crime que, segundo apurou a coluna, pode estar acontecendo em outros municípios do Estado e que, obviamente, coloca em alerta o Ministério Público.

    De acordo com ele, a Prefeitura caapiranguense desviou valores de empréstimos consignados de servidores para custear despesas do município. A Caixa Econômica Federal (CEF) resolveu tratar os funcionários públicos como inadimplentes. O caso, conforme o parlamentar, rola na esfera judicial.

    Nomes sujos

    Com os recursos desviados para fins ilícitos, os servidores ficaram com os nomes sujos na praça e impedidos de fazer outras operações bancárias.

    Ricardo Nicolau também aponta desvio de recursos financeiros provenientes do Fundo de Previdência Municipal de Caapiranga para bancar dívidas diversas.

    Dom Lopes

    Correligionários do ex-prefeito de Iranduba Nonato Lopes (MDB) andam rindo com as paredes com a possibilidade de vitória do pré-candidato à Prefeitura Municipal.

    À coluna, eles disseram que pesquisas de consumo interno de partidos adversários apontam amplo favoritismo de “Dom Lopes”. E ironizam que, por isso, mesmo os números das pesquisas estão sendo escondidos.

    Nonato enfrenta Alain Cruz, o deputado estadual Augusto Ferraz e o atual prefeito Chico Doido, este pré-candidato a reeleição, na batalha de Iranduba.

    Grana difícil

    Tramita na Aleam projeto de lei de autoria da deputada Mayara Pinheiro (PP) que obriga a destinação para a saúde de percentual da receita bruta arrecadada proveniente de multas por infrações do regulamento de trânsito.

    A propositura recebeu parecer contrário do deputado Serafim Corrêa (PSB) no âmbito da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR).

    Pobre Santa Casa

    Abandonado aos ratos e às baratas, o prédio da Santa Casa de Misericórdia, com uma dívida acumulada em R$ 10 milhões, será leiloado na terça-feira (21).

    O prédio custa R$ 16 milhões, mas quem bater o martelo em R$ 8 milhões ganha o imóvel que está caindo de podre no Centro Histórico de Manaus.

    Partidos decadentes

    A ojeriza aos partidos políticos no Brasil continua em alta. A constatação é do TSE cujos registros apontaram, entre janeiro e abril, a queda de 44,2 mil no número de pessoas dispostas a se filiarem em partidos.

    O Republicanos é a legenda que, talvez por causa do seu viés evangélico, arrebanhou maior número de filiados no Amazonas nos últimos meses: 16,3 mil fiéis.

    “Piraculhau” abandonado

    Um grande flutuante, que deveria servir de suporte para deslanchar a indústria do bacalhau da Amazônia há quase uma década, está completamente abandonado na orla da cidade de Maraã.

    De acordo com vereadores locais, o prefeito Magno Moraes passa a maioria do tempo em Manaus e pouco vai ao município. Quando pressionado sobre o assunto, ele culpa as gestões estaduais e municipais anteriores ao seu governo, afirmam os parlamentares.

    Em 2015, o então deputado estadual Luiz Castro chamou de “piraculhau” o malfadado projeto que pretendia transformar o tradicional pirarucu de Maraã em referência da gastronomia internacional sob o gerenciamento do ex-titular da Sepror, Eron Bezerra. Virou escombros.

    Tombamento – e depois ?

    A vereadora Professora Jacqueline (sem partido) protocolou na Câmara Municipal de Manaus um projeto de lei que determina o tombamento da sede do Nacional Futebol Clube, por interesse histórico e cultural da cidade de Manaus.

    Na cidade, há um verdadeiro festival de prédios tombados, e, infelizmente, abandonados à própria sorte, ou simplesmente depredados.

    APA polêmica

    Uma audiência pública, a pedido do deputado Sinésio Campos (PT), debaterá, na segunda-feira (18), às 14 horas, a proposta de criação de uma Área de Proteção Ambiental (APA) com o objetivo de proteger os macacos da espécie Sauim de Coleira, símbolo da cidade de Manaus.

    A área, de 211 mil hectares, que cobre os municípios de Itacoatiara e Rio Preto da Eva, é criticada principalmente por agricultores que a consideram um absurdo. A APA, de acordo com eles, os expulsará da área e agravará suas condições de subsistência.

    Comentários