Fonte: OpenWeather

    Críticas


    ‘Não precisamos de maluquice’, dispara Serafim sobre atos de Bolsonaro

    Ex-prefeito de Manaus e hoje deputado estadual, Serafim Corrêa diz que lamenta ataques do presidente do Brasil à Democracia

    Críticas do político amazonense ao presidente do Brasil surgiram em menos de 24 horas após manifestações em alguns pontos do Brasil a favor da anulação do isolamento social
    Críticas do político amazonense ao presidente do Brasil surgiram em menos de 24 horas após manifestações em alguns pontos do Brasil a favor da anulação do isolamento social | Foto: Divulgação

    Manaus - O deputado Serafim Corrêa (PSB) fez duras críticas, nesta segunda-feira (20), ao presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), que motivou nesse domingo (19), manifestações em todo o país, desrespeitando as orientações das autoridades de saúde que pede o distanciamento e o isolamento social para evitar o crescimento de casos do novo coronavírus.

    “Primeiro ele [Jair Bolsonaro] estimulou passeatas e carreatas no Brasil inteiro para quebrar o isolamento social e depois ele foi para frente do Comando Militar de Brasília, onde se realizava o evento e fez um ataque à democracia. Ataques aos poderes legislativos, judiciário. Tudo o que nós não precisamos é de insensatez. Não precisamos de maluquice e lamento que o presidente da República esteja agindo dessa maneira”, lamentou o deputado.

    O líder do PSB na Casa Legislativa ainda disse que Bolsonaro está querendo quebrar o isolamento social, o que vai na contramão do que os principais líderes mundiais estão fazendo.

    “O que ele [Bolsonaro] quer é quebrar o isolamento social, só que isso vai nos levar a uma situação complicada que nem foi na Espanha e que nem foi na Itália. Esse não é o caminho. Quem diz isso são os cientistas, pesquisadores. Os grandes líderes do mundo estão fazendo exatamente o inverso daquilo que ele [Bolsonaro] pregou e que está querendo. Reitero meus votos em favor da democracia brasileira que é tão jovem. A saúde precisa ser encarada com mais seriedade. Do jeito que estamos indo, estamos no caminho equivocado”, concluiu.

    *Com informações da assessoria 

    Comentários