Fonte: OpenWeather

    Com a palavra


    'Manaus terá um prefeito aliado ao presidente', diz Alberto Neto

    O candidato destacou que, apesar de não ser nascido no Amazonas, conhece Manaus e sabe como capacitar recursos para sanar os problemas da população

    Neto reafirmou que irá investir no armamento para a Guarda Municipal em Manaus
    Neto reafirmou que irá investir no armamento para a Guarda Municipal em Manaus | Foto: Brayan Riker

    Manaus - Com experiência em segurança pública, o candidato à prefeito, deputado federal Alberto Neto (Republicanos) ingressou como capitão da Polícia Militar do Amazonas (PM-AM), em Manaus, ainda em 2008, onde atuou por dez anos frente às companhias interativas comunitárias da capital.

    Bacharel em Direito, Neto foi eleito deputado federal em 2018, com 107.168 votos e desde o início de sua atuação na Câmara dos Deputados, declarou abertamente seu apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Chegando a ser escolhido pelo chefe de Estado para assumir o cargo de seu vice-líder do governo no Congresso Nacional. 

    Na rodada de entrevistas realizadas pela Rede Em Tempo de Comunicação, o candidato destacou que apesar de não ser nascido no Amazonas, conhece Manaus e sabe como capacitar recursos para sanar os problemas da população com infraestrutura e a falta de segurança. 

    Leia mais na entrevista exclusiva ao EM TEMPO:

    "

    Vamos fazer um programa inteligente, com ideias inovadoras para resolver problemas antigos "

    Candidato a prefeito Alberto Neto, sobre sua gestão caso seja eleito

    EM TEMPO - O senhor já foi comandante da segunda Companhia Interativa Comunitária (Cicom) e conhece bem as demandas da segurança pública da capital.  O estatuto do desarmamento, por exemplo, permite o uso de armas por guardas municipais em cidades com mais de 50 mil habitantes. O senhor considera que o modelo pode ser adaptado a Manaus, caso seja eleito?

    Alberto Neto - É inadmissível ter um guarda municipal desarmada. Bandido utiliza a arma e nosso guarda vai fazer a segurança das praças e dos lugares turísticos sem um armamento para fazer a defesa do outro? Nossa Guarda Municipal terá viatura, será armado, bem treinado para fazer a ronda escolar, pois as nossas escolas estão sendo invadidas por traficantes. Claro que a segurança púbica não é só isso. A prefeitura tem que levar infraestrutura para os bairros. Temos muitas invasões, então a prefeitura precisa entrar com o asfalto, a iluminação para a viatura passar.

    EM TEMPO - Manaus é um dos corredores do tráfico no Estado e a cidade sofre com a presença de grandes facções. Como a prefeitura pode ajudar os governos tanto estadual, como federal, a combater a presença do crime organizado na capital?

    Alberto Neto -  A segurança pública é de responsabilidade do Estado, com a Polícia Militar e a Civil. Manaus precisa dar a sua contribuição. Precisamos levar lazer para as nossas comunidades, com adolescentes e jovens praticando esportes, dentro de uma escola em tempo integral, com uma alimentação melhor. Mostrando aos jovens uma outra realidade, fora das drogas.

    EM TEMPO: Na rede pública estadual de ensino, muitas escolas funcionam no formato cívico-militar. O senhor acha que esse modelo deve ser adaptado nas escolas da rede municipal? Como será a proposta de trabalho das escolas na sua gestão?

    Alberto Neto - Manaus terá um prefeito aliado ao presidente da República, que é vice-líder do Governo Bolsonaro e, que sabe tramitar pelos ministérios e trazer recursos por meio dos projetos. Um dos projetos do meu plano de governo é a Escola Cívico-Militar, em tempo integral. Vamos levar essas escolas para a periferia, chamando a família para participar desse processo. Eu sou prova disso! Consegui ter uma boa educação, nasci na periferia, pobre, e não tinha nem onde morar, mas ganhei uma bolsa de estudo e hoje estou aqui como candidato. O seu filho também pode ter uma educação de qualidade para ser quem ele quiser.

    O candidato marcou o início das entrevistas na Rede Em Tempo de Comunicação
    O candidato marcou o início das entrevistas na Rede Em Tempo de Comunicação | Foto: Brayan Riker

     EM TEMPO - Dados apontam a insuficiência no número creches em Manaus. Diante desse cenário, o senhor teria uma proposta para atendimento a essa demanda, para mães que trabalham fora?  

    Alberto Neto - A primeira infância será prioridade no meu governo. Uma criança bem formada e nutrida terá um desenvolvimento mais eficiente. Manaus tem apenas 20 creches funcionando, isso é um absurdo. Os políticos anteriores prometeram construir 100 creches e nada. O povo está cansado dessa falação. Precisamos de creches de qualidade.

    EM TEMPO - A pandemia da Covid-19 expôs, como um todo, as precariedades na área de saúde da capital. Qual seria o seu projeto para a saúde básica?

    Alberto Neto - A prefeitura é responsável pela saúde básica. Hoje temos apenas 43,70% de cobertura no programa de estratégia de saúde da família. É um programa do Governo Federal, mas a prefeitura precisa fazer a sua parte. Temos mil agentes comunitários de saúde, pagos pelo Governo Federal, e nós vamos fazer um programa inteligente, usando a tecnologia ao nosso favor. O agente de saúde pode usar um tablet ou celular e fazer um prontuário eletrônico de todos os cidadãos. Com a logística certa, é possível verificar as famílias mais vulneráveis para levar o remédio até essas pessoas. Não é só colocar enfermeiros e médicos nas periferias, temos que ter resolutividade, integrando o sistema. Precisamos de mais equipamentos de imagem, usando a telemedicina, com o diagnóstico correto. São ideias inovadoras, mas para resolver problemas antigos.

    EM TEMPO - A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) está implementando, em algumas unidades, o programa ‘Saúde na Hora’, que deve ampliar o horário das UBS’s até ás 19 horas. Caso seja eleito, o senhor dará continuidade a esse projeto?

    Alberto Neto - Vamos continuar com esse projeto e ampliá-lo. Queremos realizar novas contratações, pois tem recurso para isso. Como deputado federal, sei como fazer para utilizar esses recursos e como ter acesso aos programas federais, disponíveis pelo Governo.

    "

    As riquezas que existem no nosso Estado podem transformar o país, e não só a nossa região. "

    Candidato a prefeito Alberto Neto, sobre o desenvolvimento de Manaus

    EM TEMPO - A capital cresceu muito nos últimos anos e conta com um gargalo enorme na mobilidade urbana. O senhor tem um projeto para resolver o problema do trânsito e do transporte público em nossa cidade?

    Alberto Neto - Esse é o desafio mais complexo, pois as administrações anteriores não se prepararam e nem investiram para isso. Temos ônibus à esquerda e a faixa azul na direita. Dessa forma, o povo fica imprensado no meio disso. Precisamos organizar o nosso trânsito, organizar por meio de softwares para cidades inteligentes, como controles de sinais, por exemplo. Colocar mão única na Djalma Batista e na Av. Constantino Neri, que não são mudanças grandiosas. Queremos fazer parceria com o mercado chinês e alemão para concessões da mobilidade urbana.

    EM TEMPO - De acordo com últimos dados do sistema nacional de informações sobre saneamento, Manaus é a sexta cidade entre as dez piores em coleta de esgoto. Há ainda bairros que não contam com fornecimento regular de água. Como a cidade pode avançar nessa área? Sabendo que há uma concessionária que precisa lidar com o problema, em conjunto com a prefeitura?

    Alberto Neto - Saneamento básico é água, o tratamento de esgoto, a drenagem e os resíduos sólidos. Manaus ainda tem um lixão, isso é um absurdo. Nós vivemos na floresta Amazônica e o mundo todo fala de preservação ambiental, mas temos que fazer o nosso dever de casa. Precisamos trazer parcerias para transformar o lixo em energia. Políticos não querem investir em tratamento de esgoto porque as obras são embaixo da terra, não dá para inaugurar. É um pensamento muito pequeno. O congresso aprovou agora o novo marco de saneamento básico, que vai me dar a oportunidade de trazer novas empresas. Já são 20 anos de concessão e o serviço é péssimo. Quero trazer mais empresas, mais de uma para haver concorrência. Tem empresas internacionais que querem investir pela preservação da floresta Amazônica.

    O candidato afirmou que busca promover oportunidades a alunos de baixa renda
    O candidato afirmou que busca promover oportunidades a alunos de baixa renda | Foto: Brayan Riker

    EM TEMPO - Como a Prefeitura poderia tornar a Zona Franca de Manaus mais eficiente?

    Alberto Neto - Temos muitas riquezas no nosso Estado. Estou lutando para trazer um polo de fertilizante para gerar em torno de 5 mil empregos. Em Autazes, temos o potássio, no interior, temos bacia de fósforo e outros recursos. Para tornar o agronegócio mais competitivo no mundo, precisamos do fertilizante mais barato. As riquezas que existem no nosso Estado podem transformar o país, e não só a nossa região. Mas a prefeitura precisa asfaltar a área industrial. Falta melhorar na infraestrutura da nossa cidade.

    EM TEMPO - Para finalizar, por que considera que deve ser o prefeito da cidade de Manaus?

    Alberto Neto - Conheço cada canto da minha cidade, como policial, conheço o drama do meu povo pela falta de segurança e estrutura. Estudei para isso. Sei como captar recursos do Governo Federal e tenho o preparo da vivência da cidade, acadêmico e a experiência política para governar Manaus. 

    Confira a entrevista completa:

    | Autor:
     

    Leia mais:

    'Quero mostrar minha capacidade de governar Manaus', diz Alberto Neto

    Capitão Alberto Neto é oficialmente nomeado por Bolsonaro

    Comentários