Fonte: OpenWeather

    Com a palavra


    'Sou a prova de que oportunidades mudam vidas', diz Marcelo Amil

    O candidato afirmou ter sentido na pele os problemas da capital amazonense e, por isso, saberá como agir para resolvê-los

    Uma das principais propostas do candidato envolve a implantação do sistema VLT, para melhorar a mobilidade urbana de Manaus
    Uma das principais propostas do candidato envolve a implantação do sistema VLT, para melhorar a mobilidade urbana de Manaus | Foto: Lucas Silva

    Manaus - Na disputa eleitoral pelo comando do Executivo municipal, está o advogado e professor Marcelo Amil (PCdoB). O candidato, que abdicou do cargo de defensor-geral do Tribunal de Justiça Desportiva do Amazonas, para concorrer às eleições deste ano, começou sua jornada política aos 17 anos, quando foi presidente do grêmio estudantil. Posteriormente foi eleito vice-presidente da União Municipal dos Estudantes Secundaristas de Manaus (UMES) e já concorreu ao cargo de senador e deputado federal.

    Em entrevista à Rede Em Tempo de Comunicação, o postulante destacou a implantação do Veículo Leve sob Trilhos (VLT), para desafogar o trânsito de Manaus e melhorar a mobilidade urbana. A proposta pretende atender cerca de 350 mil moradores, promovendo segurança e rapidez. Além disso, Amil afirmou que, caso seja eleito, a construção da Universidade Municipal de Manaus será uma forma de universalizar a educação na capital.

    EM TEMPO: Quais as suas propostas para a educação básica em Manaus?

    Marcelo Amil: Manaus conseguiu zerar o déficit de vagas na rede municipal de ensino. O desafio, agora, é garantir a qualidade dessas vagas. Temos alguns eixos de trabalho e um deles é a valorização do servidor. Na nossa gestão, quando o professor atingir três anos de serviço, terá assegurada a sua promoção, sem precisar ir à Justiça para garantir o seu direito. Estamos propondo uma revolução na Educação ao criar a Universidade Municipal de Manaus, que será um centro de conhecimento. Com ela, vamos universalizar o acesso ao Ensino Superior, todo manauara que quiser fazer uma faculdade, vai fazer, e mais ainda, vamos poder instituir programas de pesquisa dentro da capital. Eu sou a prova viva de que oportunidades mudam a vida das pessoas, então, quanto mais oportunidades pudermos gerar, mais faremos.

    EM TEMPO: Em relação às creches, quais as propostas da chapa? 

    Marcelo Amil: Estamos propondo a construção inicial de 18 creches. A ideia é utilizar a estrutura do Edifício Garagem, no Centro de Manaus, onde os cinco andares superiores servirão para atividades administrativas e nos nove primeiros serão construídas as creches, duas por andar. Destas, duas atenderão, exclusivamente, crianças com necessidades especiais. Assim, vamos zerar o déficit de creches nas Zonas Centro-Sul e Central de Manaus. Vamos oferecer qualidade de vagas para as mães e pais que trabalham no Centro da cidade e precisam de lugar para deixar seus filhos e vamos perseguir, obsessivamente, o aumento do número de vagas. Já no prédio onde funciona a rodoviária, vamos construir uma creche para atender aos moradores da Zona Centro-Oeste.

    "

    Manaus não pode continuar refém de serviços públicos inúteis. Nós precisamos dar efetividade e levar o serviço para onde as pessoas mais precisam "

    Candidato a prefeito de Manaus, Marcelo Amil, sobre as necessidades de Manaus,

    EM TEMPO: Sobre o formato cívico militar, o que o senhor acha desse formato?

    Marcelo Amil: O respeito aos símbolos pátrios é fundamental para qualquer nação soberana. Agora, nós temos que respeitar as limitações das pessoas também. É preciso entender que há pessoas que, filosoficamente, não têm esse apreço pela pela administração militar. O modelo cívico militar é importante, mas eu preciso, antes de tudo, respeitar a autonomia de cada família, respeitar as famílias que tenham outras visões. Prestar continência não é a única forma de demonstrar amor ao país.

    EM TEMPO: Quais as propostas da chapa para contribuir com a Segurança na capital?

    Marcelo Amil: Atuar com inteligência e, primeiramente, não prometer nada que não seja da alçada do município. O objetivo do município na contribuição para a Segurança Pública é oferecer ferramentas de inteligência. A nossa Guarda Municipal está, infelizmente, subvalorizada. Temos uma idade média alta do guarda municipal. Precisamos abrir concurso para 1.500 novos guardas municipais, masculinos e femininos. Precisamos treiná-los adequadamente e garantir a eles comunicação efetiva e em tempo real com a Polícia Militar, que é quem tem a competência para atuar no policiamento repressivo, treinamento e proteção legal para atuação efetiva em situações de maior tensão. Eu quero uma guarda municipal inteligente, efetiva, bem treinada, bem equipada e com plenas condições técnicas de cumprir a sua função, de acordo com a Lei Orgânica do Município.

    "

    Eu conheço os problemas da cidade porque eu vivi esses problemas na pele a minha vida inteira "

    Candidato a prefeito de Manaus, Marcelo Amil, sobre sua competência ao cargo,

    EM TEMPO: De que forma a Prefeitura poderia agir para evitar os assaltos aos coletivos e contribuir para que o usuário se sinta seguro dentro dos coletivos em Manaus?

    Marcelo Amil: Podemos estudar pontos de apoio ao cobrador e ao motorista nas localidades que são mais visadas e, com isso, vamos poder proporcionar sensação de segurança aos usuários e aos trabalhadores. Todas as sociedades, por mais qualidade de vida que tenham, têm também algum índice de criminalidade. A diferença é a inteligência com a qual se enfrenta a causa e a consequência. Nós vamos buscar técnicos, já temos alguns em vista, para estudar as causas da criminalidade e agir para evitar suas consequências. Esses dados, por exemplo, dos assaltos entre a penúltima e antepenúltima estação já estão tabulados. Vamos atuar nesse ponto para inibir e garantir uma maior sensação de segurança aos usuários. Eu conheço os problemas da cidade porque eu vivi esses problemas na pele a minha vida inteira. Eu identifiquei as soluções para esses problemas porque eu estudo diariamente as normas técnicas e as soluções possíveis já aplicadas em outras cidades do mundo.

    EM TEMPO: O trânsito é outro grande desafio na cidade de Manaus. Quais as propostas da chapa para o trânsito e para a mobilidade urbana na capital?

    Marcelo Amil: Para começar a dar soluções para a mobilidade urbana de Manaus, é preciso intervir no transporte coletivo. Nós estamos propondo a criação da Linha 1 do VLT, o Veículo Leve sobre Trilhos. É uma alternativa mais moderna que o BRT [Bus Rapid Transport] que se tem tentado implantar em Manaus. O VLT é um veículo sobre trilhos, mais leve que o metrô. Ele vai sair de uma estação próximo ao Viver Melhor, no bairro Lago Azul, vai aproveitar o trajeto da Avenida das Flores e das Torres, chegando a uma estação de desembarque no Coroado. Com isso, nós vamos atender 350 mil manauaras que moram nesse traçado e terão uma opção de transporte moderna, veloz e segura. Com essa opção de transporte eu vou diminuir a necessidade de ônibus comuns trafegando nas ruas.

    Amil propõe o treinamento e a abertura de concurso para melhoria e efetividade da Guarda Municipal
    Amil propõe o treinamento e a abertura de concurso para melhoria e efetividade da Guarda Municipal | Foto: Lucas Silva

    EM TEMPO: Ainda sobre a infraestrutura, Manaus é a sexta cidade entre as dez piores em coleta de esgoto. Quais as propostas para isso e também para a questão do abastecimento de água?

    Marcelo Amil: Esse dado implica que Manaus tem apenas 18% da cidade atendido pelo sistema de esgoto. Porém, todas as diretrizes para o esgotamento, estão previstas no contrato de concessão das águas. Infelizmente não há uma cobrança efetiva do poder público para o cumprimento disso e nós vamos mudar essa realidade. No dia 2 de janeiro, o representante da empresa concessionária vai ser convocado a ir ao gabinete do Prefeito, explicar por quê as metas não foram cumpridas e apresentar um plano de metas de esgotamento da cidade. No primeiro descumprimento desse plano de metas, a empresa será notificada, multada e se não tiver condições de atender Manaus, terá o seu contrato desfeito. Manaus não pode continuar refém de serviços públicos inúteis. Nós precisamos dar efetividade e levar o serviço para onde as pessoas mais precisam.

    EM TEMPO: Como o senhor pretende melhorar a saúde básica? De forma prática, o que já está sendo projetado para essa área?

    Marcelo Amil: Para se obter bons resultados, deve-se identificar o problema. Das 1.047 equipes da Estratégia Saúde da Família que o Município de Manaus tem direito, pagas pelo Governo Federal, temos apenas 242 atuando, fazem um trabalho hercúleo e atendem 36% da população manauara. Precisamos triplicar esse número de equipes para poder atender 100% da população. É possível fazer porque desse total, 23% tem acesso a um plano de saúde privado. São 77% que dependem exclusivamente do SUS [Sistema Único de Saúde]. Então, são para eles que precisamos triplicar esse atendimento. Não adianta simplesmente aumentar de 242 para 676 equipes, é preciso dar condições de trabalho para essas equipes. A Saúde Básica é a base da pirâmide, no momento em que se tem uma Saúde Básica eficiente, se diminui, substancialmente, o número da necessidade de atendimentos de média complexidade.

    O candidato afirmou que não propõe nada que não possa ser realizado, caso eleito
    O candidato afirmou que não propõe nada que não possa ser realizado, caso eleito | Foto: Lucas Silva

    EM TEMPO: Em relação à dignidade, o senhor sentiu na pele o que é acordar de madrugada para tentar conseguir uma senha para atendimento em uma Unidade Básica de Saúde. De que forma isso vai acontecer nas UBS?

    Marcelo Amil: Com o ato de triplicar as equipes de saúde, a necessidade de ida à UBS vai diminuir, substancialmente. Se eu tenho um atendimento em casa, eu posso me programar. Se eu sei que está agendado, que na quinta feira dia 6 a equipe de Estratégia Saúde da Família vem me visitar. O acesso vem aqui. O profissional da saúde bucal vem visitar o meu filho, então eu vou me programar. Quem vai buscar as UBSs, vão ser as pessoas que necessitam de um atendimento mais urgente, que o seu planejamento está agendado para daqui a um tempinho, mas ele não pode esperar. Essa é a forma de desafogar. Não tem mágica, é simplesmente fazer cumprir o que determina o Plano Nacional de Atenção Básica [Pnab] e é aquilo que cabe no orçamento da União. 

    Leia Mais:

    Marcelo Amil propõe Copa Manaus Sub-17 para valorização de atletas

    'Não estou preocupado com críticas a ideologia do partido', diz Amil

    Para alavancar a economia de Manaus, Amil vai investir no turismo

    Comentários