Fonte: OpenWeather

    Denúncia do MPE


    Prefeito de Urucurituba, irmão e secretária são presos no Amazonas

    Operação “Coleta de Luxo" investiga um esquema criminoso praticado em Uricurituba

     

    Prefeito é investigado por lavagem de dinheiro
    Prefeito é investigado por lavagem de dinheiro | Foto: Divulgação

    MANAUS - Com o objetivo de apurar crimes contra a Administração Pública de Urucurituba, município localizado a 209 km de distância de Manaus, o Ministério Público do Amazonas (MPAM) realizou nesta quarta-feira (28),  a operação “Coleta de Luxo", no estado. 

    As ações resultaram na prisão do prefeito de Urucurituba, José Claudenor de Castro Pontes, mais conhecido como “Sabugo”, do irmão dele, José Júlio de Castro Pontes, que é representante do município em Manaus, além da secretária de Finanças de Urucurituba, Eliana da Cunha Melo. 

    Conforme o MPAM, ainda há um mandado de prisão em aberto em nome de um quarto envolvido no esquema criminoso, cujo o nome não foi divulgado. Caso a pessoa não for encontrada pelas autoridades no período de 12 horas desde o inicio da operação será requerida a inserção no Banco Nacional de Mandados de Prisão. 

    Leia também:  A farra de combustível em Urucurituba: para onde vai tanta grana?

    Crimes 

    Dentre os crimes apurados pelo MPAM, os suspeitos são apontados como envolvidos ao direcionamento de licitações e lavagem de dinheiro, com a presença marcante de agentes públicos intimamente ligados às empresas vencedoras de certames licitatórios e crescente incompatibilidade patrimonial com os respectivos ganhos dos envolvidos.

    Também com base nas provas colhidas na investigação, há elementos que apontam não apenas para o direcionamento da licitação e contrato de coleta de lixo no município, mas também para a prestação do serviço em questão pelo próprio poder público, a suas expensas e com recursos próprios, apesar de haver uma empresa contratada.

    Leia mais:

    TCE-AM multa ex-prefeito de Anamã em mais de R$ 1 milhão

    No interior do AM, maioria dos prefeitos continua no poder

    Comentários