Fonte: OpenWeather

    Violência


    Alberto Neto pede criação de rede de apoio às vítimas de violência

    O pedido do parlamentar se baseia no aumento de casos de violência doméstica

     

    O pedido do parlamentar se baseia no aumento de casos de violência doméstica
    O pedido do parlamentar se baseia no aumento de casos de violência doméstica | Foto: Divulgação

    Manaus (AM) - O deputado federal Capitão Alberto Neto (Republicanos-AM), vice-líder do Governo Bolsonaro na Câmara dos Deputados, sugeriu ao Ministério da Saúde e da Mulher a implementação de uma rede de apoio às vítimas de violência doméstica com equipes especializadas dentro dos hospitais brasileiros. O pedido do parlamentar se baseia no aumento de casos de violência doméstica. De acordo com informações do Governo Federal, o país registrou mais de 105 mil denúncias em 2020. A pandemia agravou o problema e deixou muitas vítimas sem socorro. 

      “Devido a pandemia, as vítimas e os agressores ficaram restritos, elas não tiveram condições de pedir ajuda. Com atendimento especializado dentro dos hospitais, muitas mulheres poderão efetuar a denúncia”, explicou.  

    A Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP/AM) aponta que foram registrados 14.478 casos específicos de violência psicológica no ano passado no estado. Este tipo de violência é tido como fator inicial da violência contra mulher, sendo que muitas têm dificuldades em reconhecer o problema que estão vivendo. 

    “O medo e a ausência de informações sobre as redes de apoio para mulheres e dos seus direitos, como medida protetiva, por exemplo, dificultam o registro de boletim de ocorrências contra o agressor e deixam as vítimas vulneráveis. Com atendimento nos hospitais será mais fácil identificar os casos e seguir com os protocolos para registro de BO, pedido de medida protetiva e apoio à vítima”, ressaltou o deputado.

    Leia Mais:

    Flordelis: relator no Conselho de Ética recomenda cassação do mandato

    ‘Tenho convicção da minha inocência’, diz Wilson Lima

    Durante depoimento médica diz não saber motivo de saída de ministério

    Comentários