Fonte: OpenWeather

    Protesto


    Bolsonaro será recepcionado com cartazes contra cortes de verbas no AM

    PT, PCdoB, PDT e movimentos sindicais vão participar da mobilização na visita do presidente em Manaus nesta quinta-feira (25)

    Protesto focará os cortes realizados na educação | Foto: Marcely Gomes

    Manaus - Movimento sindicais e representantes dos partidos PT, PCdoB e Psol se reuniram ontem (23) e definiram que irão recepcionar o presidente Jair Bolsonaro (PSL), amanhã (25), com cartazes que pedem respeito ao Estado e questionam cortes de verbas na educação. O presidente estará na capital para participar da reunião do Conselho de Administração da Suframa (CAS).

    Um dos coordenadores da mobilização, Yann Evanovick, presidente da Frente Brasil Popular, diz que o ato será pacífico, não impedirá o trajeto do presidente e irá questionar os ajustes de repasse para educação, questões ambientais e geração de emprego. Ele destacou, ainda, que a mobilização contará com eleitores de Bolsonaro, que hoje estão insatisfeitos com seu governo.

    “Sabemos que palavra não é uma marca desse governo, porque eles retrocedem sempre no que falam, mas queremos que ele assuma compromisso com o estado do Amazonas”, disse. “Terão muitas faixas nas ruas, questionam os retrocessos causados pelo governo”, acrescentou. Para Yann, um dos atos recentes e preocupantes trata-se dos ataques ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), que, segundo o presidente ,não deveria dar publicidade a dados.

    Quem também vai marcar presença no ato é o Movimento Sindical do PDT. “Vamos mostrar a realidade da Zona Franca de Manaus, o índice de desemprego no Estado. No nosso entendimento, a única intenção do presidente é vender a Amazônia”, informou Afrânio Barão.

    Bolsonaro participa da reunião do CAS nesta quinta-feira (25)
    Bolsonaro participa da reunião do CAS nesta quinta-feira (25) | Foto: Divulgação

    O PCdoB também se organizou para recepcionar Bolsonaro, mas incluiu questões que vão além dos temas partidários. Para o presidente do partido, Eron Bezerra, o grande prejudicado com as ações do governo são os movimentos sociais. “O presidente tem se ocupado muito em desrespeitar as mulheres, negros, nordestinos e índios. Precisamos de um país pacificado e não que brasileiros se voltem contra brasileiros”, salientou. Ele informa que as questões primordiais para discussão envolvem tolerância e respeito por quem tem opinião diferente.

    Reunião no CAS

    O superintendente da Zona Franca de Manaus, Alfredo Menezes informou que a primeira reunião do CAS em 2019 está ocorrendo somente em julho devido à espera pela publicação do decreto presidencial que regulamentaria a nova composição do Conselho – isso ocorreu no último dia 10 de julho, na forma do Decreto nº 9.912. “Por isso a reunião só pode ser realizada agora, com o conselho plenamente implementado. Mas o importante é que será uma reunião histórica, com a presença de um presidente da República pela primeira vez em mais de dez anos e investimentos e anúncios relevantes”, afirmou.

    Na avaliação de Menezes, a visita de Bolsonaro coloca a Zona Franca de Manaus (ZFM) no centro de atenções do Brasil e dissemina uma mensagem de que ela é estratégica para o país e de que a Suframa está avançando no resgate de seu protagonismo no âmbito regional. O superintendente também ressaltou que a visita do presidente poderá trazer novidades positivas com relação à rodovia BR-319.

    “A BR-319, devido à sua importância capital para a nossa região, também está na pauta e o presidente vai trazer as atualizações necessárias. Estamos vendo com bons olhos o destravamento das barreiras ambientais, que neste momento são o principal desafio que temos antes da fase de engenharia e da fase orçamentária”, afirmou.

    Leia mais: 

    Aeroporto expõe tensão de Bolsonaro com políticos do Nordeste

    Bolsonaro quer acesso a dados de desmatamento antes de divulgação

    200 dias de governo: Bolsonaro privilegia bases eleitorais

    Comentários