Fonte: OpenWeather

    Notas da Contexto


    Susam e o mistério dos três computadores no Amazonas

    A denúncia é gravíssima e deve ser apurada dentro da rigidez e da transparência que o caso exige

    O sumiço foi registrado por funcionários da secretaria como “furto” num B.O. (boletim de ocorrência) feito no dia 4 de dezembro e indica que o ocorreu às 7h do dia 3 de dezembro
    O sumiço foi registrado por funcionários da secretaria como “furto” num B.O. (boletim de ocorrência) feito no dia 4 de dezembro e indica que o ocorreu às 7h do dia 3 de dezembro | Foto: Lion

    Três computadores sumiram da Secretaria de Estado de Saúde (Susam) durante a transição entre o atual governo Amazonino Mendes (PDT) e o futuro governo Wilson Lima (PSC). O sumiço foi registrado por funcionários da secretaria como “furto” num B.O. (boletim de ocorrência) feito no dia 4 de dezembro e indica que o ocorreu às 7h do dia 3 de dezembro.

    Algo de estranho no ar

    A reportagem apurou que a equipe de Wilson Lima foi surpreendida pela informação do sumiço dos três computadores e do registro de B.O.

    E considera que nos computadores havia importantes dados ainda não disponibilizados ao novo governo.

    Chá de sumiço

    De acordo com o B.O., os equipamentos que sumiram da Susam foram dois computadores completos de mesa (CPU e monitor) e um notebook preto.

    A Susam foi procurada para se manifestar sobre o assunto, o que não ocorreu até a publicação desta matéria.

    Incentivos da Sudam

    A aprovação do projeto de lei que prorroga os incentivos fiscais da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), na noite de ontem, no plenário da Câmara dos Deputados, arremata um trabalho de quase nove meses iniciado por Eduardo Braga (MDB/AM) no Senado.

    Braga colhe os frutos

    Em março deste ano, o senador amazonense mobilizou os demais colegas da Casa para que fosse dada uma solução legislativa à manutenção dos benefícios da autarquia, que atua na região, além das superintendências do desenvolvimento do Nordeste (Sudene) e do Centro-Oeste (Sudeco).

    Segurança aos Investidores

    Festejando a vitória, Eduardo observou que esses incentivos são essenciais para assegurar a competitividade, o crescimento e, principalmente, os empregos da região.

    — Precisamos dar segurança aos investidores —, disse o senador.

    Segundo levantamento da Sudam, mais de 800 empresas estão com projetos ativos na Amazônia Legal, gerando milhares de empregos.

    Nas mãos de Moro

    O fim do Ministério do Trabalho e a entrega das atribuições da antiga Secretaria de Relações do Trabalho para o Ministério da Justiça, a ser comandado pelo ex-juiz Sérgio Moro, vêm encontrando resistência.

    Sindicatos reagem

    Os Sindicatos estão reagindo contra a decisão do governo Bolsonaro.

    Para eles, é evidente que está nos planos do governo de Jair Bolsonaro uma intensa perseguição contra os sindicatos.

    Mordaça

    A grande maioria dos sindicalistas aponta um “claro intuito de cercear essa organização, fundamental na defesa dos interesses dos trabalhadores”.

    Apertem o cinto

    O Juiz da 1ª Vara de Falências de São Paulo, Tiago Henriques Papaterra Limongi, deferiu o pedido de recuperação judicial da companhia aérea Avianca Brasil.

    Arresto de aeronaves

    A decisão determina também que a suspensão das ações para arresto de aeronaves movidas pelos arrendadores terá validade de 30 dias.

    Rombo de R$ 500 milhões

    As ações envolvem 14 aeronaves.

    O pedido foi apresentado na terça-feira, com uma lista de credores que contabilizava quase R$ 500 milhões em dívidas.

    Você gosta das Notas da Contexto? Então leia mais:

    Região Amazônica possui 2,3 mil pontos de mineração ilegal, diz estudo

    Neguinho da Beija Flor é agora Cidadão do Amazonas

    Um papamóvel para segurança de Bolsonaro na posse

    Comentários