Fonte: OpenWeather

    Notas da Contexto


    Wilson Lima começa a arrumar a casa

    Wilson disse que sua equipe encontrou casos em que o fornecedor de medicamentos tem contrato com o governo, mas não fabrica o medicamento

    De saída ele já cortou pagamentos de contratos que não vinham sendo cumpridos
    De saída ele já cortou pagamentos de contratos que não vinham sendo cumpridos | Foto: Lion

    Em seu primeiro dia de governo, Wilson Lima (PCL) deu a entender que quem realmente vai arrumar a casa é ele mesmo.

    Porque o governador que se elegeu prometendo fazer isso deixou um tombo de R$ 2,3 bilhões. De saída ele já cortou pagamentos de contratos que não vinham sendo cumpridos.

    Mas teve o cuidado de avisar que os pagamentos de serviços essenciais serão mantidos. No entanto, o governador deixou claro que vai rever quais são os contratos que estão sendo cumpridos ou não.

    Wilson disse que sua equipe encontrou casos em que o fornecedor de medicamentos tem contrato com o governo, mas não fabrica o medicamento.

    — Além disso, não houve nenhuma emissão de notas para compra de medicamentos -.

    Perguntar não ofende

    Como é que uma empresa vai fornecer algo que não fabrica?

    Sem perseguições

    O governador pretende arrumar o governo sem açodamento ou perseguições.

    Para não ser injusto, pretende chamar essas empresas, esses fornecedores, para renegociar contratos.

    — E aqueles contratos, principalmente da área de saúde, que estão sendo pagos por indenização, a gente vai entender como é que isso foi feito -, explicou.

    Prova dos nove

    Dessa forma, Wilson quer chegar à verdade dos fatos para agir com segurança, honrar o que é verdadeiro e detonar o que é irreal.

    — É preciso ter a comprovação de como esse trabalho foi feito. Se não houver essa comprovação, aí vamos precisar mandar para os órgãos de controle –, advertiu ele.

    Ranking de gastos

    Falando em gastos, no primeiro dia do ano o deputado Serafim Corrêa (PSB) apontou, com números, a evolução das despesas do setor público no Amazonas de 2010 a 2018, que é a série histórica de nove anos disponível no Portal da Transparência.

    Gasto moderado

    Comparando os dados de 2010 com os de 2018, tendo por base o INPC do período (68,16%), o líder do PSB verifica que a Assembleia Legislativa cresceu suas despesas em 63,79%, portanto um pouco abaixo da inflação.

    O Executivo cresceu um pouco acima da inflação – 77,04%.

    Extrapolaram

    Já o Tribunal de Justiça do Amazonas, o Tribunal de Contas do Estado e Ministério Público do Estado cresceram 136,51%, 150,46% e 191,20%, respectivamente, portanto bem acima da inflação.

    — Ou seja, tiveram crescimento real em suas despesas –, analisou Serafim.

    Sem juízo de valor

    No final, o parlamentar do PSB faz um apelo:

    — Sem fazer juízo de valor, peço que cada um reflita sobre os números e manifeste sua opinião. É pouco? É muito? Os serviços correspondem aos valores? Enfim, dê sua opinião.

    Apenas 10 se reelegeram

    Dos 20 governadores que tomaram posse na terça-feira (1º), dez vão para o segundo mandato consecutivo.

    O índice de reeleição em 2018 foi inferior ao de 2014, quando 11 dos 18 concorrentes obtiveram êxito.

    Perdeu por quê?

    O insucesso se deve, em grande parte, aos problemas financeiros dos Estados, onde a tônica tem sido a ruína dos serviços públicos, greves e dificuldades para pagar servidores.

    Estreantes

    Mas também contou muito o desejo de renovação.

    Elegeram-se associando seus nomes ao de Bolsonaro 14 governadores: sete eram estreantes na política (Amazonas, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Distrito Federal, Santa Catarina, Amazonas, Rondônia e Roraima).

    10 na oposição

    A oposição ficará à frente de dez Estados (Espírito Santo e todos do Nordeste); três governadores são independentes (Pará, Tocantins e Amapá).

    Lá vem o IPVA

    Ano Novo chegou. E, de cara, os brasileiros proprietários de veículos automotores já têm um compromisso agendado: o pagamento do IPVA, que começa no dia 9.

    Seu bolso

    Outra forma de conseguir economizar no IPVA é fazendo o pagamento à vista.

    A Secretaria da Fazenda concede 3% de desconto no valor do imposto, caso ele seja quitado de uma vez, respeitando as datas de vencimento em janeiro para cada número final da placa.

    Guerra ao sarampo

    Manaus está vencendo a guerra contra o sarampo. Isso é fato!

    O 43º Informe Epidemiológico de Monitoramento de Casos de Sarampo divulgado na última segunda-feira (31) apontou que, no período de 23 e 28 de dezembro de 2018, não houve notificação ou confirmação de novos casos da doença.

    Alfinetadas do Jair

    O presidente Jair Bolsonaro (PSL) fala em pacto nacional e conciliação.

    Mas continua alfinetando seus antecessores. Ontem (2), durante cerimônia de transmissão de cargo do novo ministro da Defesa, o general da reserva Fernando Azevedo e Silva, ele se recusou a dizer o nome do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

    FHC não existe

    Bolsonaro exaltou as Forças Armadas e agradeceu benefícios a militares nos governos de José Sarney, Fernando Collor e Itamar Franco, e se recusou a citar FHC.

    — Depois, veio outro governo, que vocês sabem qual foi – cutucou.

    Nem Lula, nem Dilma

    O novo presidente também não citou os nomes de Lula e Dilma Rousseff (PT) e disse que a situação dos militares “piorou com o tempo”.

    Você gosta das Notas da Contexto? Então leia mais:

    Eduardo Braga cotado para disputar a presidência do Senado Federal

    “A gente não faz amigos, reconhece-os”

    Wilson Lima diz que quer ser cobrado pela imprensa

    Comentários