Fonte: OpenWeather

    Notas da Contexto


    Conheça o bloco dos parlamentares independentes da Aleam

    O bloco foi formado em plenário na manhã dessa quinta-feira (7), por meio de um documento protocolado na mesa diretora

    O Dermilson Chagas (PP) foi escolhido para liderar o bloco dos parlamentares independentes na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam)
    O Dermilson Chagas (PP) foi escolhido para liderar o bloco dos parlamentares independentes na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) | Foto: Malika

    O nome pode até sugerir, mas não tem nada a ver com o Carnaval, mas sim com a conjuntura política do Estado. O deputado Dermilson Chagas (PP) foi escolhido para liderar o bloco dos parlamentares independentes na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam).

    — O bloco nasce de uma construção coletiva e disposta ao diálogo, com o objetivo de ajudar a governabilidade do atual governo –, explicou.

    Abram alas

    O bloco foi formado em plenário na manhã dessa quinta-feira (7), por meio de um documento protocolado na mesa diretora, informando a criação e os membros.

    Comissão de frente

    Além de Dermilson Chagas, o bloco dos deputados que atuarão de forma independente será formado por Álvaro Campelo (PP), que será o vice-líder; Adjunto Afonso (PDT); Belarmino Lins (PP); Felipe Souza (PHS) e Abdala Fraxe (Podemos).

    Enredo

    De acordo com Dermilson, os deputados vão trabalhar de forma independente.

    A ideia é votar sempre a favor das questões vitais que representam o bem para o Amazonas.

    — Precisamos criticar as coisas erradas e apoiar as coisas certas. É ajudar nas proposituras e nas discussões com o intuito de construir uma Amazonas melhor –, disse o líder do bloco.

    Wilker xiíta

    Único deputado declaradamente na oposição, Wilker Barreto (PHS) disse que ia fazer oposição sem xiitismo.

    Mas está fazendo, sim. Ontem jogou o problema da saúde no colo do governador Wilson Lima, que não tem nem dois meses no cargo.

    — Eu não posso dizer que o governador Wilson Lima é o responsável pelo caos, mas posso afirmar que ele e o vice (Carlos Alberto) agravaram a situação. A saúde precisa ter uma grande reformulação.

    Livrou o negão

    Tudo bem que Wilker agora é “Amazonino desde pequenininho”, mas dizer que Wilson é culpado pelo caos na saúde é exagerado, incoerente e até irresponsabilidade.

    Quem ficou dois anos repetindo que ia arrumar a casa foi o aliado do deputado. Ou não?

    O buraco é mais embaixo

    O deputado Dr. Gomes (PSD), que nem líder do governo é, não aguentou ouvir a acusação de Barreto e lançou mão do microfone.

    — A responsabilidade não pode ser jogada num governo que tem pouco mais de 30 dias. O governo do Estado não pode ser responsabilizado do caos que aí está há anos.

    A profecia

    Do ato de seus 73 anos, o deputado Serafim Corrêa fez uma profecia, com o pensamento voltado para o sistema de saúde do Amazonas.

    — Está na hora desse modelo de terceirização da saúde ser implodido!

    Origem do caos

    Serafim justificou que o modelo que está aí levou a essa situação de caos na saúde.

    — E o que eu defendo é aquilo que deveria ter sido feito há 30 anos, que é implantar o SUS no Amazonas.

    Aluguel de mão de obra

    No entanto, continua Sarafa, para implantar o SUS, é necessário fazer concurso público rapidamente e substituir essa estrutura de aluguel de mão de obra, que hoje “submete a população a um vexame muito grande”.

    Nunca na história

    A realidade, segundo o líder do PSB, é que no Amazonas nunca se conseguiu implantar o SUS.

    — Ao contrário, os defensores do SUS há 30 anos são marginalizados na administração pública no Estado.

    SUS Privado

    Para Sarafa, o que nós temos aqui é um Sistema de Saúde Privado”, que gera valores absurdos e que são impagáveis”, disse o deputado do PSB.

    Podemos fundir?

    Os partidos PHS e Podemos estão em processo de fusão.

    A sigla PHS será extinta, e os seus filiados serão migrados para o Podemos.

    Saúde na UTI

    Em discurso no pequeno expediente da Câmara dos Deputado ontem (7), o deputado federal José Ricardo (PT) pediu auxílio do governo federal ao sistema de saúde do estado do Amazonas.

    Para Zé 13, a saúde no Estado passa por uma séria crise financeira.

    Falou besteira

    O deputado Márcio Labre (PSL-RJ) fez besteira, recebeu uma enxurrada de críticas e recuou.

    Ele simplesmente deu entrada em um projeto de lei que previa a proibição de alguns do métodos mais eficazes de contracepção, como o DIU e a pílula do dia seguinte.

    O corpo não te pertence

    Labre passou a tarde rebatendo críticas que lhe eram dirigidas no Twitter.

    Chegou a dizer a uma internauta que, após a concepção, o corpo da mulher não pertence mais a ela.

    Para outra, respondeu que pílula do dia seguinte é aborto.

    “Micro abortivos”

    O projeto sugeria veto total de “comércio, à propaganda, a distribuição ou a doação” de anticoncepcionais.

    Para o deputado, esses métodos seriam na verdade ‘microabortivos’.

    Você gosta das Notas da Contexto? Então leia mais:

    'Governador Wilson Lima terá que matar o dragão'

    Programa de privatização será apresentado ainda neste semestre

    Vale tudo por vaga na Assembleia Legislativa

    Comentários