Fonte: OpenWeather

    Plano Dubai


    ‘Plano Dubai’ sobre região Norte divide opiniões no Amazonas

    Especialistas , economistas e políticos opinam sobre o "Plano Dubai" sugerido pelo governo federal para a região Norte. Por um lado, alguns analisam como uma ameaça à ZFM. Outros vêem como uma solução para os problemas econômicos da região. Leia e tire conclusões:

    Indústria na Zona Franca de Manaus
    Indústria na Zona Franca de Manaus | Foto: Divulgação

    Manaus - A repercussão sobre o ‘Plano Dubai, proposto pelo governo federal e divulgado na segunda-feira (10) pelo jornal Folha de São Paulo, com incentivo a produção de fármacos, turismo, pesquisa e mineração na Amazônia, gerou opiniões polarizadas entre economistas e políticos do Amazonas nesta terça-feira (11). O novo projeto, preparado pela Secretaria de Produtividade, Emprego e Competitividade (Sepec), propõe diversificar a matriz econômica da região Norte.  A preocupação é que o projeto reduza a competitividade e os incentivos da Zona Franca de Manaus (ZFM).

    O economista Luís Coelho afirma que os autores do Projeto Dubai não conhecem o sistema econômico do Amazonas. ”Não precisamos de um novo modelo. Já temos vários polos em Manaus, como o polo médico, cultural e o polo da piscicultura., além do próprio polo industrial. Todos esses polos geram recursos e exportação”, afirmou o economista, acrescentando que se o "Dubai" foi implementado, vai proporcionar receita apenas a longo prazo.

    Deputado Serafim Corrêa

    Deputado Serafim Corrêa criticou o projeto na tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas
    Deputado Serafim Corrêa criticou o projeto na tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas | Foto: Divulgação

    O deputado estadual Serafim Corrêa (PSB) criticou o projeto do Governo Federal que propõe novas matrizes econômicas. “Esse Plano Dubai, sem antes se pensar em infraestrutura para a região amazônica, é mais uma promessa. O Governo Federal diz por um lado que não tem dinheiro para pagar o programa Bolsa Família neste mês e está dizendo que tem um Plano Dubai para fazer investimentos de bilhões de dólares aqui na Amazônia? Eles estão brincando com a gente, vão querer que a gente acredite nessa história? disse Serafim durante discurso.

    Deputado José Ricardo

    Deputado José Ricardo diz que o projeto mais parece uma ameaça à continuidade da Zona Franca de Manaus
    Deputado José Ricardo diz que o projeto mais parece uma ameaça à continuidade da Zona Franca de Manaus | Foto: Divulgação

    Para o deputado federal José Ricardo (PT), o projeto mais parece uma ameaça direta à continuidade da Zona Franca e do projeto que desenvolve e sustenta o Estado do Amazonas. Diante do quadro, José Ricardo disse que vai convocar o secretário do Ministério da Economia para prestar esclarecimentos sobre o “Plano Dubai”, em Audiência Pública nas Comissões de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e Amazônia (Cindra) e de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços.

    Além disso, o deputado informou que está encaminhando ofício ao Ministério da Economia, solicitando informações detalhadas sobre o novo projeto.

    “É de novo um plano de cima para baixo, sem discussão com a sociedade, sem debate com os estados da Amazônia, que é o caso do Amazonas, Acre, Rondônia, Roraima, e Amapá. Não tem um debate aprofundado sobre os impactos de cada segmento”, destacou o parlamentar, citando o exemplo do futuro polo de mineração, em que não se sabe que tipo de exploração se pretende, já que há muito minério em terras indígenas; e do polo da defesa, com relação à proteção das fronteiras.

    Novos incentivos são bem vindos

    Para o especialista em direito tributário Jhonatas Alves o Plano Dubai é inovador e necessário
    Para o especialista em direito tributário Jhonatas Alves o Plano Dubai é inovador e necessário | Foto: Divulgação

    Já o especialista em direito tributário Jonathas Alves afirma que atualmente há a necessidade da implementação de uma nova matriz econômica na região. Para ele, os incentivos ficais não são suficientes para a vinda de novas indústrias ao Amazonas. “O Plano Dubai é inovador e necessário, pois a ideia dele é justamente desenvolver matrizes regionais, como o turismo, mineração e agronegócio. A nossa região é muito dependente do Polo Industrial de Manaus, que é uma matriz que já está se esgotando”, finalizou o especialista.

    Federação das Indústrias do Estado do Amazonas

    Vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas considera que em nenhum momento se falou em acabar com a Zona Franca de Manaus
    Vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas considera que em nenhum momento se falou em acabar com a Zona Franca de Manaus | Foto: Divulgação

    “Nesse plano do Governo Federal, eles são bem claros que vão envolver todos os estados da Amazônia Ocidental, incluindo o Macapá. Em nenhum momento foi dito que eles querem acabar com a Zona Franca de Manaus.Não somos uma renúncia fiscal. Precisamos alinhar os argumentos para que tenhamos convencimento técnico e mostrar que a Zona Franca é um projeto vitorioso e que necessita de incentivos que geram, não apenas emprego, mas também desenvolvimento”, afirmou Nelson Azevedo, vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam). 

    Senador Omar Aziz

    Em vídeo, o senador Omar Aziz fala sobre o "Projeto Dubai" | Autor: Divulgação
     

    O senador Omar Aziz (PSD) disse que o projeto apresentado pelo secretário Carlos Costa ao jornal Folha de São Paulo é baseado em pontos já praticados no Amazonas.

    "

    "Embora seja baseado em pontos já praticados no Amazonas, esse projeto nunca vai substituir a Zona Franca de Manaus, justamente por conta da questão ambiental. Novas atividades que possam vir, serão bem vindas para que possam gerar emprego e renda. Mas, quando o secretário fala em fármacos., fala em pesquisas e ai comete um erro grave, pois fala que o Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA), não vai servir para pesquisas. Quando fala em turismo, sabemos que o Brasil recebe 4 milhões de turistas por ano. Isso não representa 10% do faturamento da ZFM. Quando fala em mineração, mais um desconhecimento. Não podemos pensar em mineração porque a maioria dessas terras que podem ter mineração estão em terras indígenas. Agora querer comparar Dubai com o Brasil é brincadeira. Em 2014 foram investidos em Dubai 2 trilhões de dólares, isso é muito mais do que o PIB brasileiro. O Amazonas não é areia. Que sejam bem vindas outras atividades econômicas, mas que a ZFM seja preservada porque é sustentável e protege as nossas florestas". "

    Omar Aziz, Senador da Repúbica


    Leia Mais:

    Vice-presidente da Fieam é favorável ao Plano Dubai

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!:

    'É brincadeira com a ZFM', diz Serafim Corrêa sobre 'Plano Dubai'


    Comentários