Fonte: OpenWeather

    Governo Bolsonaro


    Após críticas de Bolsonaro, Joaquim Levy pede demissão do BNDS

    Levy foi alvo de críticas do presidente em função da nomeação do advogado Marcos Barbosa Pinto para o cargo de diretor de Mercado de Capitais do banco de fomento. Ele teria sido assessor no governo PT

    Levy caiu após fritura pública em pronunciamentos do presidente Jair Bolsonaro
    Levy caiu após fritura pública em pronunciamentos do presidente Jair Bolsonaro | Foto: Estadão Conteúdo

    Os arroubos das falas do presidente Jair Bolsonaro causa mais uma saída no alto escalão do governo federal. Desta vez no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

    O presidente do banco, Joaquim Levy, entregou seu pedido de desligamento do cargo ao ministro da Economia, Paulo Guedes, após constrangimento público em pronunciamento do presidente Bolsonaro. A nota foi distribuída à imprensa na manhã deste domingo, 16.

    Levy foi alvo de críticas do presidente Jair Bolsonaro no sábado (15), em função da nomeação do advogado Marcos Barbosa Pinto para o cargo de diretor de Mercado de Capitais do banco de fomento.

    "Levy nomeou Marcos Pinto para função no BNDES. Já estou por aqui com o Levy", disse o presidente neste sábado 15. "Falei para ele: Levy, demite esse cara na segunda ou eu demito você sem passar pelo Guedes (ministro da Economia)", afirmou no sábado o presidente.

    "Levy está com a cabeça a prêmio há algum tempo", continuou o presidente.

    Barbosa Pinto trabalhou como assessor do BNDES durante o governo PT, de 2005 a 2007, o que irritou Bolsonaro. No entanto, o próprio Levy foi ministro da Fazenda de Dilma Rousseff.

    Em nota, Levy declarou que sua expectativa é que o ministro da Economia aceite sua demissão. No comunicado, ele deseja a Guedes "sucesso nas reformas".

    Leia a íntegra da nota de Joaquim Levy:

    "Solicitei ao ministro da Economia Paulo Guedes meu desligamento do BNDES. Minha expectativa é que ele aceite .Agradeço ao ministro o convite para servir ao País e desejo sucesso nas reformas. 

    Agradeço também, por oportuno, a lealdade, dedicação e determinação da minha diretoria. 

    E, especialmente, agradeço aos inúmeros funcionários do BNDES, que têm colaborado com energia e seriedade para transformar o banco, possibilitando que ele responda plenamente aos novos desafios do financiamento do desenvolvimento, atendendo às muitas necessidades da nossa população e confirmando sua vocação e longa tradição de excelência e responsabilidade".

    Leia mais:

    Ex-ministro Joaquim Levy assume diretoria financeira do Banco Mundial
    B
    olsonaro demite presidente dos Correios por agir como sindicalista
    Bolsonaro diz que de uma facada na barriga de Lula sairia cachaça




    Comentários