Fonte: OpenWeather

    Notas de Contexto


    Morde e Assopra: Marcelo Ramos já pensa em 2022?

    Marcelo admite que vive entre tapas e beijos com o governo Bolsonaro

    Marcelo Ramos disse que se aliar ao Eduardo Braga foi o fundo do poço | Foto: Malika

    Marcelo Ramos já pensa em 2022

    O presidente da Comissão Especial da reforma da Previdência, deputado Marcelo Ramos (PL-AM), é o que se pode chamar de “morde e assopra”.

    Ele admite, com uma certa ponta de orgulho, que vive entre tapas e beijos com o governo Bolsonaro.

    — O governo me vê com bons olhos porque eu defendo a reforma. E a oposição me vê com bons olhos porque eu ataco o governo –, vangloria-se o amazonense.

    Fundo do poço

    Numa entrevista ao jornal paulista Estadão, Marcelo admite que é um político que paga por suas escolhas.

    Diz isso para ilustrar as críticas que fez à sua decisão de se aliar ao senador Eduardo Braga (MDB-AM), a quem atacava, mas terminou aceitando ser candidato a vice -governador em 2017.

    — A omissão para mim não é uma hipótese, e eu pago o preço das minhas escolhas. Essa me levou para o fundo do poço. Foi o pior momento da minha vida pública –, diz.

    Olhos em 2022

    Ramos também diz que a presidência da Comissão Especial é a sua primeira guinada política de maior impacto para sair do buraco em que mergulhou após colecionar fracassos nas urnas.

    Com a visibilidade que vem obtendo, ele espera se cacifar para a campanha a governador do Amazonas em 2022.

    Bolsonaro vem aí

    O presidente Jair Bolsonaro deve comandar, em 12 de julho, na capital amazonense, a primeira reunião do Conselho de Administração da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa).

    Braga confirma

    O anúncio foi feito nessa segunda-feira (24) pelo senador Eduardo Braga (MDB/AM).

    — Devem ser destravados vários projetos de indústrias que poderão investir na geração de emprego e renda no Estado –, garantiu o senador.

    ZFM na pauta

    Eduardo teve uma audiência com Bolsonaro e o superintendente da autarquia, Alfredo Menezes, realizada no Palácio do Planalto.

    Durante o encontro, o senador insistiu na manutenção em 12% da alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para os fabricantes de concentrados de bebidas não alcoólicas presentes no Polo Industrial de Manaus (PIM).

    EBC sob pressão

    A Empresa Brasil de Comunicação, mais conhecida como EBC, que reúne um conglomerado de mídias públicas federais, começa a dar sinais de tombo.

    Relatos dão conta de que os profissionais das empresas andam pisando em ovos nesse novo governo.

    Censura voltou

    Todas as redações da EBC foram reunidas para maior controle dos seus conteúdos.

    Há quem diga que matérias estão sendo censuradas por pessoas mais ligadas ao governo de Jair Bolsonaro.

    Indignação

    O deputado Caso Maciel (PR) prestou solidariedade à família do sargento Luiz Carlos da Silva Castro, assassinado nos últimos dias com resquícios de maldade. Maciel disse que os assassinos têm de ser tratados como animais.

    — Peço que o judiciário reveja essa custódia. Será que é porque um policial que foi morto? E se fosse outra pessoa? –, cutucou.

    Prós e contra

    O deputado, que é presidente da comissão de segurança da Aleam, disse que vai fazer uma investigação para reavaliar até que ponto a audiência de custódia é válida.

    “Animais livre”

    Maciel radicalizou ao dizer que a justiça colocou em liberdade “três animais” que chegaram atirando, causando indignação em toda a população do Amazonas. O vídeo da execução viralizou em todo o país.

    — Esses animais não podem ficar soltos. Esperava outra ação. Olho por olho e dente por dente, senão vamos perder o controle do nosso Estado e do nosso país –, arregaçou.

    É só com ele

    Existem decisões na justiça do patropi que só acontecem com o Lula.

    Ontem, foi oficialmente retirado da pauta de hoje da Segunda Turma o habeas corpus do ex-presidente que pedia a soltura e a anulação do processo do tríplex.

    Gilmar de novo

    Acontece que o ministro Gilmar Mendes, que é o próximo a votar, pediu a Cármen Lúcia para adiar o julgamento, que ficará para o próximo semestre.

    Mordaça na TV

    Apresentador do “Domingo Espetacular”, da Record, há 14 anos ininterruptos, Paulo Henrique Amorim deixará a apresentação da revista eletrônica.

    Já no dia 30 de junho, o profissional não estará mais presente em um dos programas de maior prestígio da emissora dos bispos.

    Mudança na grade?

    Apesar do que foi informado pelos representantes da Record, Paulo Henrique Amorim pode ter sido afastado por um motivo mais complexo do que uma simples mudança na grade.

    Críticas a Bolsonaro

    De acordo com o Notícias da TV, o envolvimento do jornalista na política e suas críticas ferrenhas contra o governo de Jair Bolsonaro podem ter sido decisivos para que os diretores tomassem a decisão.

    Leia mais:

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    Padres casados? Sim, mas só na Amazônia!

    Pesquisa aponta que professores brasileiros recebem menor salário

    Comentários