Fonte: OpenWeather

    Política


    Bolsonaro encontra Trump e reafirma apoio à reeleição do republicano

    Presidente comentou que, durante a reunião que teve com Trump, aproveitou para retomar assuntos tratados na visita que fez a Washington e introduzir a ideia de um acordo de livre-comércio 'para fortalecer ainda mais nossa parceria econômica'

    Japão- O presidente Jair Bolsonaro e um dos seus filhos, o deputado federal e presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), postaram em suas redes sociais registros sobre o encontro do presidente brasileiro com o seu colega norte-americano, Donald Trump, durante o G-20, em Osaka, no Japão. 

    Em seu Twitter, Bolsonaro comentou que, durante a reunião que teve com Trump, aproveitou para retomar assuntos tratados na visita que fez a Washington e introduzir a ideia de um acordo de livre-comércio "para fortalecer ainda mais nossa parceria econômica". Na sequência, o líder brasileiro postou uma foto com o presidente americano na qual os dois sorriem e fazem o sinais positivos com as mãos. 

    Já Eduardo Bolsonaro fez um registro mais longo, no Instagram, afirmando que "Trump e Bolsonaro mais parecem velhos amigos que se gostam de graça, o que abre espaço para um diálogo franco e cordial". O filho do presidente afirmou que Trump elogiou Bolsonaro e sua campanha, ao que o presidente brasileiro respondeu com uma declaração de apoio para as eleições americanas no ano que vem, nas quais Trump concorrerá à reeleição. 

    O deputado também alfinetou os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Barack Obama, ao afirmar que Bolsonaro e Trump tem uma postura de aproximação com efeitos concretos que vão muito além de "uma mera fala de 'this is the man' feita por líderes sorridentes que mantinham, na prática, uma política antiamericana e de flerte com países comunistas".

    Leia mais:

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    Militar preso na Espanha fazia parte da comitiva de Bolsonaro

    Em vez de 2022, presidente deveria estar falando sobre a reforma

    Comentários