Fonte: OpenWeather

    Suframa


    Ausência de Guedes na reunião do CAS afasta investidores, diz Serafim

    A afirmação foi feita após o presidente Jair Bolsonaro (PSL) ter decretado, na última sexta-feira, 20, que o secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa, irá conduzir a reunião, na ausência de Guedes.

    Deputado Serafim Corrêa
    Deputado Serafim Corrêa | Foto: Divulgação

    Manaus - O deputado Serafim Corrêa (PSB) disse nesta terça-feira, 24, que as declarações contra o modelo Zona Franca de Manaus e a ausência no ministro Paulo Guedes na 288ª reunião do Conselho Administrativo da Suframa (CAS), marcada para quinta-feira, 26, afasta os investidores.

    A afirmação foi feita após o presidente Jair Bolsonaro (PSL) ter decretado, na última sexta-feira, 20, que o secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa, irá conduzir a reunião, na ausência de Guedes.

    "

    “A ausência de Paulo Guedes tem consequências. Exemplo disso é quando um empresário estrangeiro ver as declarações de Guedes na imprensa nacional contra o modelo ZFM e vê que ele nem vem mais às reuniões. O empresário vai pensar duas vezes se vem para cá ou se vai para o Paraguai, Uruguai ou Argentina. O capitalismo só tem uma palavra: credibilidade, que vem com a segurança jurídica e aqui isso não tá acontecendo”. "

    Serafim Corrêa, Deputado Estadual

    Para o deputado, o ministro da Economia, Paulo Guedes,  quer se “livrar da Zona Franca”.

    “O objetivo disso é Guedes ficar livre disso aqui. Ele não vir aqui, significa que não será pressionado por ninguém e, muito menos pela imprensa. Lamento, porque cada vez mais estão diminuindo o tamanho e a importância da Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus). A diminuição do orçamento foi uma prova disso. Se você voltar na máquina do tempo, 20, 30 e 40 anos atrás,  a autarquia tinha orçamento para fazer convênios com Roraima, Amapá, Acre e Rondônia. Isso foi diminuindo e agora acabou”, lamentou Serafim.

    O líder do PSB na Casa também avaliou que outra consequência do enfraquecimento da Suframa é a perda do apoio da bancada da Amazônia no Congresso Nacional.

    “O resultado é que não temos mais o apoio da bancada da Amazônia, principalmente da Amazônia Ocidental. E nós já chegamos a contar, por exemplo, com o apoio da bancada do Amapá, na época do senador José Sarney, e em Roraima, com o senador Romero Jucá, ou seja, com senadores influentes na República. Infelizmente, perdemos isso, jogamos isso fora”, lembrou o deputado.

    Serafim destacou que quando a bancada do Amazonas vai para o embate no parlamento, só temos os oito deputados federais e os três senadores, que são competentes, mas em número, são pequenos.

    “A bancada perdeu o apoio da bancada da Amazônia, porque deixou de realizar convênios. Ela foi perdendo ano a ano a sua capacidade de ter recursos para aprovar projetos de infraestrutura, das capitais, municípios do interior, ela foi abrindo mão disso”, concluiu o parlamentar.

    Comentários