Fonte: OpenWeather

    Fora do pleito


    Vereadores desistem da reeleição na CMM

    Insatisfação, disputa pela prefeitura e renovação da Câmara Municipal são alguns dos motivos das desistências

    Com o início da corrida eleitoral oficialmente declarado, após divulgação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), na semana passada. A disputa pelo eleitorado manauara dever ser acirrada, mas não deve envolver os atuais vereadores Chico Preto (DC), Hiram Nicolau (PSD), Gilvandro Mota (PTC) e William Abreu (PTB). | Foto: Reprodução

    Manaus – Na primeira semana eleitoral de 2020, quatro vereadores da Câmara Municipal de Manaus (CMM),  Gilvandro Mota (PTC), William Abreu (PTB), Hiram Nicolau (PSD) e  Chico Preto (DC), já declararam não disputar a reeleição no pleito municipal deste ano, indo na contramão da maioria dos parlamentares que ocupam as cadeiras da 17ª Legislatura da Câmara Municipal de Manaus (CMM), que se arriscar para reeleição. 

    Insatisfação, candidaturas à prefeitura e decisões partidárias são um dos motivos que compõe a saída dos vereadores. Com isso, até 4 de outubro, outros candidatos novatos e vereadores veteranos devem buscar voto a voto para garantir um mandato municipal.

    Gilvandro Mota é um dos vereadores que sinalizou não estar interessado em se reeleger. Questionado sobre a motivação,  o parlamentar aponta que está insatisfeito, porque a população faz juízo de valor negativo à política nacional, que nem sempre correspondem a todos os parlamentares. Na opinião dele, esse fenômeno surgiu principalmente pela alta incidência de escândalos de corrupção que assolam a classe política. “Infelizmente os cidadãos desacreditaram na classe política devido às crises de corrupção, então associam qualquer iniciativa parlamentar ou político como corruptos. E, com os vereadores não é diferente. Esse cenário nos desestimula por muitas vezes. Essa é uma das razões das quais não pretendo ser candidato à reeleição”, explica Mota.

    William Abreu também já declarou não ser favorável a reeleições, incluindo a própria. Segundo ele, além dos planos para uma candidatura no interior, a estratégia partidária que segue, aponta para somar forçar em frente de apoio à novos candidatos. “Eu nunca fui favorável à reeleição. Acredito que um mandato de quatro anos do vereador seja suficiente para cumprir o que foi proposto. Estou em um momento diferente agora, existem estratégias dentro do partido para fortalecer o pleito em outros municípios do interior. Além disso, vamos dar vazão a novas candidaturas nesse pleito, ” conclui Abreu.

    Hiram Nicolau e Chico Preto, se lançarão como candidatos à prefeitura de Manaus, deixando de lado a reeleição no cargo de vereador para mais uma legislatura. “Não sei ainda se vou disputar a reeleição, tenho uma situação indefinida no meu partido. Me coloquei à disposição para ser candidato a prefeito por minha sigla. Vou conversar com minha família antes de tomar qualquer decisão”, afirmou Hiram.

    Chico Preto já havia declarado em outras ocasiões a sua candidatura, apenas reforçou a oficialização com a filiação ao partido DC. “Dentro Democracia Cristã, recebi a indicação para a disputa majoritária da eleição municipal. Sendo assim, estamos construindo coletivamente, se Deus permitir, o caminho rumo à prefeitura”, comentou Chico.

    Caminho natural

    Ao menos 14 parlamentares já declararam que serão candidatos à reeleição para a CMM. Boa parte destes, devem usar as conquistas alcançadas durante os quatro anos de mandato como carros-chefes da corrida eleitoral.

    Entre os nomes já confirmados para disputar a reeleição, estão os parlamentares Amauri Colares (PRB), Sargento Bentes Papinha (PR), Glória Carrate (Sem partido), David Reis (PV), Diego Afonso (PDT), Elias Emanuel (PSDB), Everton Assis (DEM), Fred Mota (PR), Gedeão Amorim (MDB), Gilmar Nascimento (PSD), Professor Samuel (PHS), Sassá da Construção Civil (PT) e Wallace Oliveira (Pode).

    O atual presidente da CMM, Joelson Silva (PSDB) também deve disputar mais um mandato. Para ele, ainda é precoce pensar na reeleição como presidente da Câmara, “Ainda é cedo para falar em reeleição à presidência, primeiro preciso me reeleger como vereador. Acabei de concluir o meu primeiro ano à frente da Câmara, muita coisa ainda precisa ser feita em prol das pessoas da nossa cidade, principalmente as mais carentes”, comentou o presidente.  

    “Possuímos mais este ano de mandato, com grandes desafios e prioridades pela frente. Com o processo de modernização implantado, poderemos oferecer um serviço de qualidade aos cidadãos, finalizamos 2019 com grandes avanços. Vamos seguir com trabalho e responsabilidade para continuar avançando, e aproximando cada vez mais o poder legislativo da população”, explica Joelson.

    Discutir as proposituras dos vereadores e atuar em comissões são o foco de Silva, que pretende vislumbrar soluções para o transporte coletivo da cidade como prioridade. “Nosso objetivo como Câmara, é estar bem mais atuante junto aos manauaras. Este ano teremos pautas prioritárias e complexas para nos debruçar, como o transporte coletivo, um assunto que a Casa fará questão de acompanhar e discutir, provendo o melhor para Manaus”, finaliza o vereador.

    Vereadores ‘Pentacampeões’

    O sistema eleitoral brasileiro não estabelece um limite ao número de candidaturas e mandatos eletivos para os vereadores. Quadro diferente em relação à prefeitos e presidente da República, em que os interessados só podem se candidatar e reeleger por até duas vezes consecutivas. Portanto, vereadores podem permanecer no cargo por tempo indefinido, desde que se candidatem e sejam eleitos.

    Em 2016 no último pleito municipal, metade da câmara foi renovada, 20 novos vereadores foram incorporados a CMM, enquanto 21 vereadores mantiveram seus mandatos consecutivamente. É o caso do Vereador Gilmar Nascimento (PSD), que ocupa há 17 anos à CMM. Eleito consecutivamente por cinco mandatos eletivos, nos anos de 2003 a 2004; 2005 a 2008, 2009 a 2012; 2013 a 2016, e ainda na legislatura atual, que encerra atividades no fim deste ano, o parlamentar vai tentar a sexta candidatura.

    Segundo o portal da CMM, cinco parlamentares, assim como Gilmar Nascimento acumulam mandatos na Câmara Municipal. Entre eles, Glória Carrate (sem partido), eleita cinco vezes, sendo a primeira vez nos anos de 2001 a 2004. Repetindo o feito em 2005 a 2008; 2009 a 2012; 2013 a 2016 e também compondo atual legislatura.

    Outro nome que encabeça a lista, é de Isaac Tayah (PSDC). O vereador ocupa a tribuna do plenário Adriano Jorge desde 1996. Os mandatos como vereador compreendem os períodos de 1996 a 2000, anos 2001 a 2004; 2005 a 2008, 2009 a 2012, bem como 2013 a 2016. Atualmente ele ainda integra o quadro de vereadores da CMM.

    Encerrando a lista, Roberto Sabino (Pros) também ostenta a marca de cinco mandatos. A primeira legislatura dele compreendeu os anos de 1992 a 1995, voltando em 2005 a 2008 à CMM. Sabino ainda engatou uma sequência de três reeleições, nos anos 2009 a 2012; 2013 a 2016 e 2017 a 2020.  

     

    Comentários