Fonte: OpenWeather

    Mudança


    Corte do Tjam será renovada em 2021

    Com a aposentadoria do desembargador Djalma Martins, no próximo ano, haverá disputa para ocupar a vaga

    "Ser desembargador é como uma outra atividade qualquer, que apesar da sua importância, deve ser exercida com cuidado e disposição". Declarou Djalma Martins | Foto: Divulgação

    Manaus – Com a aposentadoria do desembargador Djalma Martins da Costa, programada para ocorrer ano que vem, o Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (Tjam), abrirá uma vaga, na corte.

    Conforme o rito, será composta uma lista sêxtupla, que será levada a votação, no Tjam e os três mais votados, serão escolhidos pelo governador do Estado para assumir a cadeira.

    Em primeira mão, o desembargador fala sobre a aposentadoria, o rito de escolha do próximo nome magistrado, além de contar o que espera ao encerrar sua atuação no tribunal. “Ser desembargador é como uma outra atividade qualquer, que apesar da sua importância, deve ser exercida com cuidado e disposição. A sociedade espera que o poder judiciário tome decisões que sejam compatíveis para a construção de uma sociedade menos injusta”, afirma o desembargador Djalma Martins.

    Sobre o balanço do seu último mandato, afirmou que continuará suas atividades jurídicas, além de incentivar as boas práticas ao futuro desembargador. Ele também não se pronunciou sobre nomes que devem vir para compor a lista tríplice.

    Comentários