Fonte: OpenWeather

    Impacto Covid-19


    Papo Franco: veja quais os impactos sociopolíticos da Covid-19 no AM

    Cientista político comenta ações dos governos diante da pandemia

    Helson Ribeiro possui formação acadêmica em diferentes áreas do conhecimento
    Helson Ribeiro possui formação acadêmica em diferentes áreas do conhecimento | Foto: Em Tempo

    Manaus - O programa Papo Franco, apresentado pela jornalista Tatiana Sobreira, traz uma entrevista com o cientista político Helso Ribeiro, que comenta a situação sociopolítica do Estado e do mundo, ponderando sobre as medidas de combate ao novo coronavírus e os embates políticos que vêm se desenvolvendo.

    Helson Ribeiro é formado em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e em Filosofia pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Atualmente, ele atua como professor em universidades do Estado. 

    Combate à Covid-19

    A Itália foi um dos países mais atingidos pelo novo coronavírus em função da adesão tardia do isolamento social
    A Itália foi um dos países mais atingidos pelo novo coronavírus em função da adesão tardia do isolamento social | Foto: Reprodução

    As medidas de combate diante da Covid-19 foram realizadas de diferentes formas pelos países atingidos. Em muitas localidades da Europa, o isolamento social foi a principal medida de contenção para a propagação da doença, por exemplo. Nesse sentido, Helso aponta para o caso da Alemanha, referência no baixo índice de casos justamente por ter tomado decisões emergenciais e rápidas diante da ameaça. (Os dados se referem até a última semana, já que o afrouxamento do isolamento social acarretou no surgimento de mais de 900 novos infectados).

    Em paralelo, Ribeiro comenta posicionamentos que foram na contramão das medidas aconselhadas pela Organização Mundial da Saúde, como os dos presidentes do Brasil e Estados Unidos, Jair Bolsonaro e Donald Trump, respectivamente. Ambos foram resistentes à adesão do isolamento social sob o argumento de que a economia não poderia parar. Além disso, também defendem o uso da hidroxicloroquina no tratamento de coronavírus, mesmo ela sendo contestado por grande parte da comunidade científica, que constatou um índice de letalidade de 28% entre os pacientes submetidos à medicação.

    Instabilidade política

    No Brasil, a situação tem se mostrado ainda mais delicada. Além do crescimento acentuado de casos da covid-19 e a possibilidade do país se tornar o novo epicentro da doença, o Ministério da Saúde passa por momentos de instabilidade com a saída de dois ministros, Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich, em um curto período de tempo. Sobre isso, o cientista político revela que tal situação é resultado de uma série de divergências dentro do governo.

    O Ministério da Saúde tem passado por turbulências na dirigência durante a pandemia
    O Ministério da Saúde tem passado por turbulências na dirigência durante a pandemia | Foto: Reprodução

    “Os opositores do presidente estão no seu próprio governo, devido aos conflitos internos causados por ideias contrárias”, comenta Helso, em alusão as divergências sobre as medidas de combate ao coronavírus entre os ministros e o presidente Jair Bolsonaro.

    No Amazonas, as tensões também se acentuam com o pedido de impeachment do atual governador Wilson Lima. Sobre isso, o cientista político comenta que talvez a lei estabelecida para essa situação é de 1950, e por isso, tem algumas dúvidas acerca da eficácia.

    Wilson Lima tem sido alvo de pedidos de impeachment
    Wilson Lima tem sido alvo de pedidos de impeachment | Foto: Reprodução

    “Em um primeiro momento isso me parece estranho, no entanto, não significa que é carta branca para o governador fazer o que quiser, principalmente no cenário caótico que vivemos ”.

    Repercussão internacional

    Manaus atingiu recordes de mortes diárias, sobrecarregando o sistema funerário da capital
    Manaus atingiu recordes de mortes diárias, sobrecarregando o sistema funerário da capital | Foto: Reprodução

    Em meio a todas essas situações, a Amazônia, como um todo, tem chamado cada vez mais atenção da comunidade internacional. Centenas de jornalistas de grandes veículos têm realizado coberturas sobre a situação da saúde na região, especialmente no que diz respeito à estrutura física dos hospitais e o avanço da doença nas comunidades tradicionais.

    Recentemente, o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto solicitou o apoio da ativista ambiental Greta Thunberg para reforçar o pedido de ajuda no combate contra a pandemia da covid-19.

    Greta  Thunberg é conhecida por ter protestado fora do prédio do parlamento sueco, e por ser a líder do movimento Greve das escolas pelo clima. Em dezembro de 2019, foi considerada personalidade do ano pela revista americana Time
    Greta Thunberg é conhecida por ter protestado fora do prédio do parlamento sueco, e por ser a líder do movimento Greve das escolas pelo clima. Em dezembro de 2019, foi considerada personalidade do ano pela revista americana Time | Foto: Reprodução

    Em um vídeo veiculado nas redes sociais, a jovem sueca e mais 12 ativistas alertam lideranças mundiais sobre a necessidade de colaborar com a capital, que já tem seu sistema de saúde colapsado. Já são mais de 20 mil casos e 1.433 óbitos.  

    Confira o vídeo | Autor: Divulgação
     

    Em entrevistas,Arthur revelou que: “Foi um pedido de socorro e sabia que Greta iria responder de forma madura. Sou muito grato pela sensibilidade desses jovens, que pensam no futuro do planeta e sabem da contribuição da nossa floresta para a questão climática. Espero que os líderes mundiais possam nos ajudar a salvar a vida dos defensores da floresta”.

    Confira a entrevista na íntegra:

    | Autor: Tatiana Sobreira/ WEB TV Em Tempo
     

    *Colaborou WEB TV Em Tempo/ Tatiana Sobreira

    Comentários