Fonte: OpenWeather

    OPERAÇÃO SANGRIA


    Belarmino Lins repudia associação do seu nome à ‘lista’ suspeita

    Parlamentar argumenta que lista divulgada não traz qualquer informação que sirva às investigações

    Belão diz que a divulgação do material sigiloso da investigação é único ato ilícito | Foto: Divulgação

    Manaus - O deputado estadual Belarmino Lins (Progressistas) repudiou matéria veiculada em vários órgãos de comunicação, no último final de semana, que associaram o seu nome com o suposto esquema de recebimento de propina envolvendo o Governo do Estado e alguns parlamentares da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam).

    “Repudiamos veementemente qualquer tentativa de vincular meu nome a qualquer prática ilícita por ato de manipulação da mídia sem qualquer compromisso com a verdade ou real apuração dos fatos”, diz Belão, acrescentando: “A suposta ‘lista’ divulgada não traz qualquer dado ou informação passível de criar um liame com a situação fática objeto de investigação, demonstrando-se tão somente uma nítida e ardilosa acusação desprovida de fundamento ou justa causa”.

    Ao contrário do que foi publicado, o deputado sustenta inexistirem descritivos de qualquer natureza ou ordem que relacionem a ‘lista’ com a Operação Sangria, tratando-se tão somente de anotações sem qualquer significado lógico. “A única prática delituosa comprovadamente realizada é a divulgação ilícita de material sigiloso, pertencente a uma investigação em andamento, tendo o condão de comprometer a lisura das apurações e a efetividade do trabalho das autoridades competentes”, afirma o deputado.

    Segundo ele, as acusações foram baseadas em informações apócrifas, perniciosas, e qualquer tentativa de estabelecer conexão entre a ‘lista’ à sua pessoa e ao processo investigatório em curso deve ser considerada “falaciosa e fantasiosa”. Com 32 anos de vida dedicados à atividade pública, Belarmino Lins diz ter sempre se pautado “com equilíbrio, responsabilidade e bom senso na defesa nas questões de interesse dos municípios do Estado, o que justifica a longevidade da minha carreira na política amazonense”.

    Comentários